Apucarana

Operação prende cinco por comercialização de chumbinho

Da Redação ·
 Operação prende cinco por comercialização de chumbinho - imagem - animais.culturamix.com
fonte:
Operação prende cinco por comercialização de chumbinho - imagem - animais.culturamix.com

A Secretaria Estadual da Saúde, com apoio da Agência de Defesa Agropecuária do Parana (Adapar) e Polícia Civil, realizou operação ontem em diversos pontos do Estado para combater a venda ilegal de chumbinho, agrotóxico utilizado como veneno de rato. A comercialização do produto está proibida em todo território nacional, entretanto a comercialização continua em larga escala. Na região, por exemplo, mais de 200 frascos da substância foram apreendidos e cinco pessoas foram presas sem direito a fiança.

continua após publicidade


Estabelecimentos como casas agrícolas, farmácias, mercados e mercearias foram fiscalizados pelos técnicos. Os cinco empresários foram foram autuados em flagrante nos municípios de Cambira (1), Califórnia (1), Jandaia do Sul (2) e Mauá da Serra (1). Além de multa, eles devem responder por crime contra a saúde pública. 

continua após publicidade


De acordo com a delegada adjunta da 17ª Subdivisão Policial (SDP), de Apucarana, Iane Cardoso Nascimento, a operação foi solicitada pela Secretaria Estadual de Saúde, diante da venda e uso irregular do agrotóxico. “O referido material está sendo usado para cometer suicídios, homicídios e abortos, se tornando um grave problema de saúde pública”, salienta. 


Iane informa ainda os técnicos identificaram outras irregularidades em alguns estabelecimentos que não apresentaram CNPJ e cadastro na Adapar. 
Conforme informações colhidas na 16ª Regional de Saúde, 6 municípios da região foram fiscalizados por duas equipes designadas para desenvolver os trabalhos. O material apreendido foi encaminhado para Vigilância Sanitária para análise. 


VENENO DE RATO
O agrotóxico, utilizado de forma irregular como raticida, possui em sua composição o componente químico aldicarbe. A substância foi banida do mercado brasileiro em 2012, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), devido a elevada toxicidade, em comparação a outros ingredientes ativos de agrotóxicos autorizados no país. Conforme a Anvisa, 60% dos casos de intoxicação por agrotóxico no Brasil envolvem o uso de chumbinho.

continua após publicidade


Contudo, mesmo diante da proibição, a fabricação e comercialização ainda é forte, como afirma o coordenador de fiscalização de agrotóxicos da Adapar, João Miguel Tosato. 


“O produto é altamente perigoso à saúde humana, animal e principalmente das crianças desavisadas. A fabricação é proibida. Porém ainda existe uma produção ilegal de agrotóxicos no Brasil e muitos comerciantes continuam comprando”, afirma ele, lembrando que o produto também é contrabandeado.

Arte Will Leite