Apucarana

Construção de casa de passagem para os índios será agilizada

Da Redação ·
Construção de casa de passagem para os índios será agilizada (Foto: Divulgação)
fonte:
Construção de casa de passagem para os índios será agilizada (Foto: Divulgação)

A construção de uma casa de passagem para os índios, que já está prevista no Orçamento da União, deverá ser agilizada. Essa ação foi priorizada pelo grupo de trabalho criado para discutir a situação indígena em Apucarana e que se reuniu com o prefeito de Apucarana, Beto Preto, nesta terça-feira (03/09). O local doado para receber a obra, entretanto, foi considerado inadequado e agora o Município fará uma consulta para verificar se ainda é possível mudar o local. O encontro contou com a participação do promotor Vilmar Fonseca, representando o Ministério Público Estadual, do procurador da República Gustavo de Carvalho Guadanhin, representando o Ministério Público Federal,  de Lázara Darlene Bittencourt e Evelise Viveiros Machado, da  Fundação Nacional do Índio (Funai) de Londrina, de Márcia Regina de Sousa, secretária municipal de Assistência Social, de Ana Maria Schimidt, presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), além de assessores e técnicos de vários setores da Prefeitura de Apucarana. Em 2011, o Município doou uma área de 4 mil metros quadrados junto ao Parque Japira para a construção da Casa de Passagem. Como a obra demorou a sair do papel, o Município e a Funai foram acionadas judicialmente. Até o momento não existe um projeto da edificação e, por isso, o prefeito Beto Beto colocou um engenheiro do Município à disposição para executá-lo. “Há cerca de 10 anos acompanho essa discussão em torno da situação indígena em Apucarana e vemos que, de tempos em tempos, aumenta a mendicância. Queremos garantir o direito dos índios de comercializar o seu artesanato e ao mesmo tempo tirá-los, especialmente as crianças, da situação de vulnerabilidade. Precisamos também fazer o acolhimento num lugar adequado, respeitando o direito de ir e vir”, salienta Beto Preto. O prefeito de Apucarana afirma que o terreno doado na gestão anterior, além de estar dentro de uma área de preservação ambiental, está localizado distante de outras estruturas de atendimento. “A casa de passagem vai gerar uma despesa permanente de manutenção e o ideal seria que ela ficasse próximo de outras estruturas do Município, para podermos desenvolver um trabalho agregado e proporcionar um melhor atendimento”, avalia. A secretária municipal de Assistência Social, Márcia Regina de Sousa, afirma que novos encontros serão agendados e destaca a criação de um canal permanente de diálogo da situação indígena. “Queremos avançar em vários pontos, desenvolvendo uma campanha de conscientização e dialogando sempre com a Funai, os representantes do Ministério Público e a rede de serviços envolvida nesta temática”, assinala.

continua após publicidade