Apucarana

Apucarana: bacharel em Direito que matou a mulher para ficar com a sogra é transferido para Londrina

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Apucarana: bacharel em Direito que matou a mulher para ficar com a sogra é transferido para Londrina
Apucarana: bacharel em Direito que matou a mulher para ficar com a sogra é transferido para Londrina

A Polícia Civil de Apucarana confirmou que foi transferido na tarde de ontem (14) para a Penitenciária PEL II em Londrina o bacharel em Direito Bruno José da Costa, 26 anos, que assassinou a esposa Jéssica Ananias da Costa, 22 anos, com 25 golpes de faca, na madrugada de 9 de maio deste ano.

O crime foi consumado na residência do casal, no bairro da Igrejinha. O autor do homicídio tem uma filha de quatro anos com Jéssica e não possui antecedentes criminais. Por ser formado em Direito, ele tem direito a cela especial.
 

continua após publicidade
confira também



Junto com dois amigos, Bruno chegou a simular um latrocínio (roubo seguido de morte) para tentar confundir a polícia, mas logo a verdade sobre o assassinato veio à tona. Investigadores apuraram que o crime teve caréter passional (cometido sob forte emoção). O marido de Jéssica confessou a autoria do homicídio e revelou que tinha um caso amoroso com a mãe de Jéssica, Célia Forte,48,  há quatro anos. Célia Forte foi presa em casa, em Arapongas, no dia 24 de maio e encontra-se recolhida no minipresídio de Apucarana. 

A filha de Bruno com Jéssica está com a avó paterna desde a data do crime. A mãe dele foi a única parente localizada pelo Conselho Tutelar que tem condições de assumir a guarda da menina de quatro anos.

Surra - A jovem de 22 anos morta a facadas pelo marido em Apucarana com a ajuda da mãe descobriu em janeiro deste ano que os dois mantinham um relacionamento amoroso. Segundo a polícia, Jéssica deu uma surra na mãe quando soube da traição. Jéssica Carline Ananias da Costa teria afirmado que não ia permitir que eles ficassem juntos, o que teria motivado o marido a cometer o crime.