Apucarana

Polícia de Apucarana prende suspeito de estuprar e matar menina no MT

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Polícia de Apucarana prende suspeito de estuprar e matar menina no MT
fonte:
Polícia de Apucarana prende suspeito de estuprar e matar menina no MT

Policiais civis de Apucarana prenderam ontem (9) Carlos Augusto Chaves Pereira Junior, de 31 anos, suspeito de estuprar e matar uma adolescente de 13 anos, na cidade de Juara, no Mato Grosso (MT). Ele estava em uma residência no Jardim América.

continua após publicidade


Após ter sido preso e encaminhado a delegacia de Apucarana, Carlos Augusto  relatou ao delegado-chefe da 17ª Subdivisão Policial (SDP), Ítalo César Sêga, que não tem culpa de nada e que morou em Goiânia e depois teria mudado para o estado do Paraná, até ter sido encontrado pela polícia.

As investigações de sua localização iniciaram em Juara há 30 dias pelo delegado Carlos Henrique e seus investigadores, que obtiveram informação que o foragido e acusado de ter assassinado com requintes de crueldade a garota Gimaikele Andressa, 13 anos, em 2005, em uma chácara próximo ao centro da cidade poderia estar no Paraná, mais precisamente no município de Apucarana, e em contato com a 17ª SDP foi realizada a operação que resultou na prisão de Carlos.

Segundo a polícia, Carlos Augusto dificultava sua localização, pois os telefones que utilizavam eram de outro Estado. Ele estava trabalhando em uma fábrica de bonés, tem esposa e dois filhos. Recentemente o detido sofreu um acidente de trabalho e estava de licença e recebendo beneficio auxílio doença do INSS.

confira também



A esposa dele tem salão de beleza e ao ser indagado sobre o paradeiro de Carlos, ela teria mentido, dizendo que ele estaria viajando e negou o endereço de onde moravam, tentando dificultar as investigações, mas a determinação dos policias de Juara e de Apucarana falaram mais alto e um dos investigadores seguiu a esposa de Carlos. Após a descoberta do endereço, o foragido da Justiça foi preso em sua residência por conta mandado de prisão expedido pelo Fórum da Comarca de Juara.

Segundo delegado de Juara Carlos Henrique Engelman, Carlos Augusto ainda não foi ouvido nos autos do inquérito policial. Logo após o crime ele fugiu. No inquérito instaurado ele responde por quatro crimes: estupro, homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e formação de auadrilha, mas outro crime pode ser imputado a Carlos Augusto: o de corrupção de menores, pois na época dos fatos havia muitos menores que participaram eventualmente do delito. Somando a pena de todos os crimes, ele poderá ser condenado a mais de 30 anos de prisão.


Com informações do da Radio Tucunare/site acessenoticias.com.br


Leia mais na edição de quinta-feira (11) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná