Apucarana

Apucarana: Programa da Fecea analisa saúde de educadores

Da Redação ·
Apucarana: Programa da Fecea analisa saúde de educadores da região (Divulgação)
fonte:
Apucarana: Programa da Fecea analisa saúde de educadores da região (Divulgação)

Depressão, insônia e dores de cabeça crônica estão entre as doenças que mais acometem educadores da região, aponta levantamento realizado pela Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana (Fecea). A pesquisa faz parte da primeira etapa do Programa de Apoio Preventivo a Educadores do Vale do Ivaí (PAPS), financiado pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), através do programa Universidade Sem Fronteiras. O resultado da pesquisa mostra uma situação alarmante. Dos cerca de 250 educadores ouvidos, 50% usam medicamentos regularmente, 34% têm dores de cabeça crônicas, 30% são alérgicos, 33% apresentam exaustão emocional elevada, 34% se declararam com alto envolvimento emocional no trabalho, 40% sofrem problemas de coluna, 28% têm insônia, 20% problemas gástricos e 5% são diabéticos. O diagnóstico integra a primeira fase do programa, que atualmente se concentra na execução do plano de ação, transmitindo conhecimentos para sanar os problemas encontrados. “Semanalmente ou quinzenalmente, uma equipe de enfermagem aufere pressão, checa níveis glicemia e faz anamnese geral da saúde dos educadores. Nos casos mais graves, há encaminhamento para o SUS”, explica o professor Leonardo Sartori, coordenador do programa na Fecea. Segundo o docente, uma outra frente de cuidados atua na área da psicologia. “Os profissionais formam grupos de estudos, realizam dinâmicas e prestam esclarecimentos sobre questões psicológicas. Além disso, com base nos levantamentos realizados na primeira fase, são encaminhados profissionais de áreas mais necessárias para conscientização”, acrescenta. No final do mês passado, uma pesquisa de satisfação realizada com o público-alvo dos atendimentos obteve respostas positivas. “Apesar de recente, tivemos de testemunhos de professores que se declararam depressivos ou com conflitos dentro da área de trabalho que, pelo menos, puderam ter conhecimento do que acontece com eles mesmos”, afirma. Iniciado em outubro e com duração até agosto, o projeto é desenvolvido, em Apucarana, nos colégios Agrícola Estadual Manoel Ribas, Omar Guaracy Freire, Prefeito Carlos Massareto e Padre José C. Os colégios Thalita Bresolin, de Califórnia, e Cecília Meireles, Rui Barbosa e Centro Educacional Unidade Pólo, de Jandaia do Sul, também foram contemplados. O projeto tem apoio da Faculdade de Apucarana (FAP), Núcleo Regional de Educação (NRE) e 16ª Regional de Saúde.

continua após publicidade