Apucarana

ALL promete minimizar transtornos

Da Redação ·
 Moradores reclamaram do tempo de espera para transposição da linha férrea,
fonte: Sergio Rodrigo
Moradores reclamaram do tempo de espera para transposição da linha férrea,

Até o final deste mês a América Latina Logística (ALL) irá adotar mudanças na operacionalização das linhas férreas que cortam o trecho urbano de Apucarana. O objetivo é amenizar os transtornos causados pelos comboios ferroviários, principalmente em passagens de nível. O anúncio foi feito ontem por Tiago Bastos, gerente operacional da ALL para o Norte do Paraná e pela coordenadora de Relações Corporativas da ALL, Vânia Lopacinski.

O compromisso foi assumido durante reunião no gabinete do prefeito de Apucarana, Beto Preto, na presença do presidente da Associação de Moradores do Guaracy Freire, Antônio Carlos Ferreira, e de moradores do João Paulo I e dos jardins Gramados e Sol Nascente. Os moradores desses bairros prometiam um protesto com interrupção de tráfego dos trens no próximo sábado.

Moradores destes quatro bairros reclamaram do tempo de espera para transposição da linha férrea, devido à passagem lenta de comboios ou até mesmo da parada deles, em horários inconvenientes. “Às vezes, os comboios ferroviários geram filas de até 100 carros e a espera chega a 20 minutos”, criticou Antônio Carlos Ferreira. Conforme sustentam moradores, outro problema é o acionamento da estridente buzina das locomotivas.

Representantes da ALL informaram que ainda neste mês serão introduzidas algumas mudanças. “A velocidade dos comboios no perímetro urbano vai subir de 15 para 30 quilômetros por hora, permitindo a redução em metade do tempo de espera nas passagens de nível”, revelou o gerente operacional da ALL. Quanto à buzina das locomotivas ele explicou que é um procedimento padrão e preventivo. “Vamos tentar amenizar a intensidade do som à noite e durante a madrugada”, ponderou Tiago Bastos.

TRINCHEIRA - Durante a reunião, moradores dos quatro bairros também apresentaram uma sugestão ao prefeito Beto Preto. “Para nós seria melhor uma trincheira (passagem sob os trilhos), junto ao Auto Posto Progresso, próximo da Fujiwara, ao invés de um viaduto interligando a Rua Rio Jacaré, com a BR-369“, defendeu Antônio Carlos Ferreira.

O prefeito explicou que já existem recursos garantidos para a construção do viaduto, mas nada impede que seja discutida essa nova proposta. “Podemos avaliar isso ou até viabilizar as duas obras, já que também temos mais projetos de transposição da linha férrea encaminhados em Brasília”, avaliou Beto Preto.

Aproveitando a presença da advogada e do gerente operacional da ALL, o prefeito cobrou a necessidade de roçagem do mato em todo o trecho urbano de Apucarana. Ele também exigiu um laudo de qualidade de dormentes no mesmo trecho, citando denúncias de que em alguns pontos a madeira estaria apodrecida, gerando risco de descarrilamento, como ocorreu recentemente no pátio de manobras da empresa, na Vila Apucaraninha.

Sobre estas duas situações Tiago Bastos, da ALL, assegurou que a roçagem será executada em curto prazo. “O laudo em relação à condição dos dormentes também pode ser providenciado”, anunciou.

PASSARELA - No encontro realizado na prefeitura, a advogada Vânia Lopacinski entregou cópia de acordo que está sendo formalizado com a 2ª Promotoria de Justiça da Comarca - cujo titular é o Dr. Vilmar Fonseca -, em relação à passarela da Vila Apucaraninha.

No documento, a América Latina Logística assume o compromisso de depositar em juízo, no prazo de trinta dias, a importância de R$ 100 mil para custear a construção da referida passarela. O projeto já está sendo preparado pela prefeitura, que irá se encarregar da licitação, construção e pelo complemento financeiro da obra. “Estimamos que o Município vai dispor de mais R$ 100 mil para viabilizar a passarela”, avaliou o prefeito Beto Preto.

continua após publicidade