Apucarana

Apucarana garante construção de mais 815 casas

Da Redação ·
Beto Preto assina convênio com a Caixa para construção de moradias
fonte: Delair garcia
Beto Preto assina convênio com a Caixa para construção de moradias

A Prefeitura de Apucarana e a Caixa Econômica Federal firmaram contrato, ontem, autorizando a construção de 815 unidades habitacionais no município por meio do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. O investimento de R$50 milhões do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) deve beneficiar famílias com renda mensal de até R$1,6 mil. A solenidade aconteceu no salão nobre da prefeitura, com a presença do deputado federal André Vargas (PT) e dirigentes da Caixa.

“Além de beneficiar mais de 800 famílias o programa causa grande impacto na geração de emprego e renda na região”, destacou o deputado federal André Vargas (PT), que foi o relator das medidas provisórias que criaram o projeto. “Sou responsável por esse programa e fico satisfeito em ver que o compromisso assumido com a população está sendo cumprido”, disse.

Para o prefeito Beto Preto (PT) a Caixa Econômica Federal é a “locomotiva deste trabalho de habitação”. Segundo ele, o objetivo principal é diminuir as desigualdades sociais no município. O prefeito reforçou a meta de construir 4 mil casas no período de 4 anos. “Outros projetos ainda estão por vir além deste que assinamos hoje”, disse Beto, adiantando ainda que pretende construir mais 200 residências na Vila Reis.

De acordo com o superintendente regional da Caixa, Élcio José Coelho de Lara, serão criados três novos bairros na zona leste, no prolongamento do Jardim Colonial, denominados como Sumatra 2 e 3 e Residencial Jaçanã. No ano passado foi iniciada construção de 486 moradias no Residencial Sumatra 1.

Além do governo federal, a construção desses conjuntos também terá participação do governo estadual, através da Cohapar. O Estado vai entrar com uma contrapartida R$ 4,1 mil por unidade, somando R$ 1,2 milhão no residencial Jaçanã. No Sumatra a contrapartida será de R$ 3,9 mil por unidade, num total de R$ 2,04 milhões. A Copel e a Sanepar instalam as redes de energia e água.

continua após publicidade