Apucarana

Escola dá espaço para individualidade dos estudantes

Da Redação ·
Escola Navegantes trabalha com conceito de educação individualizada
fonte: Divulgação
Escola Navegantes trabalha com conceito de educação individualizada
continua após publicidade

O sonho de construir uma sociedade melhor motivou pais e professores londrinenses a fundar uma instituição com um jeito diferente de ensinar. Trata-se da Escola Navegantes, fundada em agosto do ano passado. Ao invés de padronizar mesmo o conteúdo para alunos diferentes, o modelo educacional aplica as lições visando o melhor desenvolvimento individual do estudante. Apesar de recente na cidade, a filosofia adotada já colhe frutos junto à comunidade.

Segundo a coordenadora pedagógica da instituição, Alessandra Nascimento Peres, a ideia começou a ser discutida em setembro de 2011. O modelo segue o legado deixado pelo pedagogo espanhol Víctor García Hoz, que baseou a maioria dos seus estudos no conceito de Educação individualizada, que “foca a criança em sua totalidade”. “Normalmente, as escolas trabalham mais com a parte intelectiva dos estudantes, enquanto esse método engloba também a parte social, física, emotiva e transcendental do indivíduo”, afirma.

Outra peculiaridade do método é “empoderar” os pais no papel de protagonistas do processo educacional dos filhos. “São realizadas reuniões frequentes entre pais, mães, professores e coordenadores pedagógicos para traças metas de acordo com a capacidade de cada aluno. Há feedbacks tanto da escola aos pais quanto dos pais às escolas”, conta a pedagoga.

As disciplinas, prossegue ela, seguem todas as diretrizes do Ministério da Educação (MEC). O diferencial é que são encaradas de forma interligada com diversas atividades complementares. O conteúdo gira em torno de centros de interesse. “Se vamos falar de animais domésticos, buscamos ligar o mesmo tema ao máximo de disciplinas possível. Também trabalhamos o circuito neuromotor através de atividades físicas e realizamos passeios de aprendizagem diários”, exemplifica.

Mesmo com pouco tempo de atividade, Alessandra afirma que os primeiros resultados já são observados. “Recebemos cartas dos pais relatando que os filhos estão se comportando de maneira diferente, mais responsáveis, participativos e cuidadoras com o outro. E isso é muito recompensador, porque não estamos educando simplesmente crianças, mas os futuros profissionais do amanhã”, finaliza.