Apucarana

Presos fogem do minipresídio de Apucarana através de túnel

Da Redação ·

Doze presos considerados de alta periculosidade pela polícia fugiram do minipresídio de Apucarana por um túnel, na madrugada desta terça-feira (11). Segundo agentes de segurança, o túnel tinha saída no pátio da 17ª Subdivisão Policial (SDP). Vizinhos perceberam quando três detentos pularam o muro da 17ª SDP e avisaram a PM. Antes da fuga a unidade carcerária abrigava 220 detentos.

continua após publicidade

Policiais militares e civis, além de auxiliares de carceragem encaminharam os presos ao pátio para banho de sol (solário) para fazer a recontagem e apurar exatamente quantos encarcerados se evadiram. Após a recontagem, foi constado que 12 detentos se evadiram.

Os presos cavaram um túnel de aproximadamente 10 metros que ligou a carceragem ao pátio da 17ª SDP, anexo ao minipresídio, na Rua Nova Ucrânia, no Jardim Iguatemi. A polícia teve conhecimento da fuga por volta das 5 horas. Três policiais estavam de plantão no momento da evasão. O minipresídio conta com sistema de monitoramento eletrônico, com câmeras de vigilância na área interna e no pátio, mas o delegado adjunto da 17ª SDP, Ricaro Teixeira Casanova afirmou que confia nos policiais que estavam de plantão e por isso não acredita em uma possível facilitação. Um procedimento administrativo foi aberto para apurar mais detalhes sobre a evasão de detentos ocorrida nesta terça-feira. A última fuga da unidade carcerária de Apucarana havia sido registrada no dia 28 de fevereiro deste ano, quando três detentos ganharam a liberdade forçada. Os três foram recapturados.

continua após publicidade
confira também
continua após publicidade

Rebelião No dia 26 de novembro houve uma rebelião no minipresídio e um investigador que trabalha como carcereiro foi feito refém. Os detentos reivindicavam a transferência de presos já condenados para diminuir a superlotação, além de pedir melhorias na alimentação e nas condições de salubridade. Uma juíza, dois promotores de Justiça e representantes da OAB participaram da negociação para por fim à rebelião e o refém foi solto sem nada sofrer. No dia seguinte ao motim dois supostos líderes da insubordinação foram transferidos para a Casa de Custódia de Londrina.

Na semana passada, após gestões do delegado Valdir Abrahão junto ao Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), 20 presos foram transferidos para o Centro de Detenção e Ressocialização (CDR) de Londrina (CDR) e outros oito encarcerados, com direito ao regime semi aberto, foram removidos para Colônia Penal Industrial de Maringá (CPIM).

O minipresídio de Apucarana foi inaugurado em junho de 1991, tem cerca de 1600 metros quadrados de área construída, divididos em setor administrativo, cozinha e quatro galerias com quatro celas cada uma, além de uma cela denominada de "ala do seguro", destinada a detentos ameaçados por outros encarcerados.

continua após publicidade

No ano passado, mais sete celas com capacidade para 40 presos foram construídas em anexo onde inicialmente seria edificada uma oficina de trabalho para os presidiários. No local estão recolhidos 25 mulheres e um adolescente infrator. A capacidade atual da unidade carcerária é para 120 detentos. Antes da fuga 228 pessoas estavam presas no local. Destas, 79 já foram condenadas e deveriam estar recolhidas em penitenciárias estaduais, conforme estabelece o Código de Processo Penal.

Tentativas Só neste ano, a polícia de Apucarana evitou pelo menos cinco fugas do minipresídio de Apucarana. A última tentativa ocorreu no domingo, quando policiais descobriram que quatro mulheres estavam prestes a acabar de perfurar um buraco na parede de uma das celas para ganhar a liberdade forçada.

continua após publicidade

Confira a relação dos detentos que fugiram:

Valdecir Biscaia, responde por roubo e homicídio; Reginaldo dos Reis, responde por roubo e homicídio; Fabio Aparecido Amâncio, responde por roubo; João Paulo Caetano de Abreu, responde por tráfico de drogas e roubo; Valmir Gomes Borges, responde por roubo e extorsão; Rodrigo Bernardes, responde por homicídio; Mauricio Serpe Garcia, responde por roubo; Eder Renato Dias do Prado, responde por tráfico de drogas; Diogo Luchetti Belmonte, responde por roubo; Diego Kentenich Brun Souza, responde por homicídio, tráfico drogas e roubo; Pedro Paulo Lima Teixeira, responde por homicídio e roubo; Paulo César Oliveira dos Santos, responde por tráfico de drogas;