Apucarana

Após eleições, PT e PSDB se unem em Apucarana

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Após eleições, PT e PSDB se unem em Apucarana
fonte: Divulgação
Após eleições, PT e PSDB se unem em Apucarana

Menos de 20 dias após as eleições municipais, o prefeito eleito de Apucarana, Beto Preto (PT), e o empresário Sérgio do Cristma (PSDB), que também concorreu à majoritária na cidade, anunciaram ontem uma aliança política em “defesa dos interesses de Apucarana”.

Nesta semana, ambos, que até então figuraram como opositores no processo eleitoral, foram juntos pedir apoio do governo estadual e da Assembleia Legislativa, em Curitiba, para algumas das principais demandas de Apucarana. Fizeram parte da comitiva o vice-prefeito eleito, Júnior da Femac (PDT), e o filho de Sérgio, Thiago Bolonhezi.
“Saímos da eleição com uma demonstração de que é preciso mudar a administração e o jeito de se fazer política. Temos uma aproximação muito forte com o governo federal e uma boa relação com o governo do Estado. Resolvemos conversar com Sérgio, que fez dois vereadores pelo PSDB, e valorizar essa aliança”, comentou ontem à Tribuna Beto Preto.

Acompanhado por Sérgio, o prefeito eleito visitou, na quarta-feira, a secretária da Família e do Desenvolvimento Social do Estado, Fernanda Richa, e o chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Sebastiani. Petista e tucano foram ainda à Assembleia Legislativa, onde se reuniram com os deputados estaduais Nelson Justus (DEM), Pedro Lupion (DEM) e Valdir Rossoni (PSDB), reeleito presidente na Casa, e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), onde se encontraram com os conselheiros Durval Amaral e Nestor Batista. Eles ainda se reuniram com o secretário de Estado da Fazenda, Luiz Carlos Hauly.

Já na quinta-feira, os apucaranenses tiveram audiência com o secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, Cézar Silvestri, e o presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Fernando Ghignone.
Beto explicou que, diante das atuais circunstâncias de Apucarana, elencou três das principais reivindicações locais para expor aos representantes do Estado e da Assembleia visitados. A primeira está relacionada à duplicação da BR-376. O pedido foi para que as obras nos 250 quilômetros que ligam o município a Ponta Grossa comecem por Apucarana.

A segunda reivindicação tratou do projeto de lei que tramita da Assembleia Legislativa para a criação da Região Metropolitana de Apucarana (RMA). A proposta, de autoria do deputado Nelson Justus, está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Vinte três municípios devem fazer parte da área, caso o projeto seja aprovado pelos parlamentares.

“Também reivindicamos o que, hoje, é um dos maiores problemas de Apucarana, a falta d’água. Nossa equipe esteve na Sanepar conversando com a direção. Queremos trabalhar nesta questão com muito respeito junto ao governo estadual, mas colocando o assunto na mesa. Nos apresentaram um cronograma de obras e, agora, vamos agir em conjunto”, salientou Beto.

Junto à secretária Fernanda Richa, o prefeito eleito disse que abordou a necessidade de implantar no município um centro de recuperação de dependentes químicos. “Queremos empreender esta ação, que é também um ponto forte de Sérgio, em prol do município”, argumentou.


RESPEITO
Beto assinalou que está buscando manter uma relação de cordialidade com o governo estadual, tanto que planeja visitas em breve aos deputados Edson Praczyk (PRB), pastor Gilson de Souza (PSC), Cleiton Kielse (PMDB) e Ênio Verri (PT). Uma mobilização semelhante deve ocorrer também em Brasília, junto a representantes do governo federal, independentemente de sigla partidária.

“Nossa cidade tem que estar em primeiro lugar. Desde o início, fizemos uma campanha de propostas, sempre pensando na cidade”, disse Beto, ao destacar o respeito existente entre ele e Sérgio do Cristma. “Da parte do candidato, nunca existiram críticas, sempre houve um comportamento respeitoso, que encontrou reciprocidade conosco”, observou.

Sérgio do Cristma sustentou que, terminadas as eleições, é preciso descer do palanque, esquecer as diferenças partidárias e se unir pelos interesses legítimos de toda a população. “Recebi com alegria o convite do prefeito eleito para que abrisse portas junto ao governo do Estado em benefício à nossa cidade, se bem que ele nem precisava de um porta-voz, e assim fizemos sem qualquer peso de consciência”, afirmou.

continua após publicidade
confira também

O tucano avaliou à Tribuna que é hora de unir forças pelo município em busca do “braço forte” dos governos estadual e federal. Sérgio salientou ainda que passou da hora de deixar de pensar em grupos políticos, em detrimento dos interesses da cidade.

continua após publicidade

“Já perdemos demais com está atitude egoísta. Hoje, a renda per capita de Apucarana não chega R$ 12 mil, a de Arapongas passa de R$ 18 mil, de Rolândia chega a quase R$ 20 mil, em Londrina passa de R$ 22 mil, e Maringá, em torno de R$ 26 mil. Não concordo com isso”, completou ele.