Apucarana

Oi lidera reclamações no Procon Apucarana

Da Redação ·

A operadora de telefonia Oi/BrasilTelecom liderou, no mês de agosto, o número de reclamações apresentadas junto a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Apucarana (Procon). Foram 127 reclamações contra a empresa, de um total de 259 atendimentos do setor de telefonia, seguido da área de crédito – bancos, financeiras e operadoras de cartões – com 134 registros. A principal causa dos reclamos diz respeito a desinformação no momento da venda de serviços oferecidos pela operadora, principalmente quanto a valores cobrados. No decorrer de agosto o Procon Apucarana atendeu a 636 consumidores, alçando 2.898 atendimentos no ano. Quanto as reclamações da operadora Oi/BrasilTelecom, o coordenador do Procon Apucarana, advogado José Carlos Balan, avalia que o problema está relacionado a falta de treinamento do pessoal responsável pelo setor de vendas da empresa. “O que observamos, ao atender aos consumidores, é a desinformação sobre os serviços contratados e os valores cobrados no final de cada mês, surpreendendo o cliente, pois este busca reduzir despesas quando opta pela troca de planos de telefonia”, justifica o advogado. Lembra o coordenador que “é direito do consumidor a informação adequada e clara sobre os diferentes serviços e valores cobrados” e isto, pelo que se observa, não vem sendo cumprido pela operadora. Outra situação verificada é a venda de internet banda larga em regiões não servidas pelo serviço ou em velocidade abaixo do contratado. “Um caso mais recente diz respeito ao Núcleo Afonso Alves de Camargo, onde foi comercializado o serviço para um consumidor e quando da instalação se verificou a inexistência de sinal de internet”, completa o coordenador. Ele acrescenta que há registro de compra de determinada velocidade de internet e o sinal recebido é baixo, mas a operadora cobra o valor contratado. As reclamações das empresas de telefonia não ficam limitadas a Oi/BrasilTelecom. Também a Tim Brasil tem significativo número de registros. Somente em agosto, foram 74 ocorrências, a maioria referente a queda ou indisponibilidade de sinal. “Este, porém, não é problema único de Apucarana, mas de todo o Paraná, onde a Anatel interferiu para que a empresa melhore a qualidade dos serviços a seus clientes”, justifica o coodenador.

continua após publicidade