Apucarana

Pátio da PM de Apucarana está abarrotado com 215 motos apreendidas

Da Redação ·
A PM tem realizado blitze frequentes para fiscalização de motocicletas em Apucarana
fonte: TNONLINE
A PM tem realizado blitze frequentes para fiscalização de motocicletas em Apucarana

O pátio do Décimo Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Apucarana está novamente lotado de veículos apreendidos, principalmente motos. São 52 carros e 215 motocicletas, cujos donos pagam uma diária de permanência de R$ 18,59 ao Detran do Paraná. Segundo a PM, a maioria dos veículos foi apreendida por falta de pagamento do IPVA e licenciamento. Depois de passar o prazo legal de 90 dias no pátio, o veículo pode ir à leilão, para retorno à circulação ou sucata, e o dinheiro arrecadado fica com o Detran. O trâmite do procedimento está previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O soldado Paulo Ferreira, do Pelotão de Trânsito da PM de Apucarana, afirma que o número de motocicletas apreendidas é um dos maiores já registrados em Apucarana."O número desse tipo de apreensão aumentou muito nos últimos meses. O condutor de veículo deve sempre estar com tudo regularizado, pois além de multas e da taxa de permanência no pátio, é cobrado ainda R$ 65 de guincho de cada proprietário", alerta Paulo.

Já o sargento Daniel Rodrigo de Souza acrescenta que recentemente foram leiloados oito carros e 28 motocicletas apreendidos em Apucarana. "Os condutores de veículos que estejam com algum de tipo irregularidade ou não habilitados devem deixr seus carros e motos em casa, pois se forem abordados em blitze ou qualquer outra situação, a lei será aplicada implacavelmente pela PM", adverte Rodrigo.

O policial militar explica que o grande número de motos apreendidas ultimamente em Apucarana se deve ainda a operações específicas para fiscalizar esse tipo de veículo. "Muitos assaltantes têm usado motos para praticar roubos e a PM intensificando as operações com a finalidade de coibir esses crimes, acaba flagrando muitas motocicletas e condutores em situação irregular", explica Rodrigo.

continua após publicidade

Veja a matéria em vídeo