Apucarana

Mulheres que discriminaram funcionária negra pagam fiança e são liberadas

Da Redação ·
Acusadas de injúria racial foram levadas para a 17ª Subdivisão Policial de Apucarana
fonte: Sérgio Rodrigo
Acusadas de injúria racial foram levadas para a 17ª Subdivisão Policial de Apucarana

As duas mulheres que foram indiciadas por injúria racial na tarde desta sexta-feira (25) pagaram fiança e foram liberadas após prestarem depoimento na 17ª Subdivisão Policial de Apucarana.
 

continua após publicidade

Elas foram levadas para a delegacia após a fiscal de caixa de um supermercado denunciar à polícia que uma cliente estava lhe proferindo insultos pela sua cor "Ela me chamou de adjetivos vulgares, como macaca, preta, negona. Não foi a primeira vez. Como fui orientada pelo meu chefe, chamei as testemunhas e denunciamos à polícia", disse a vítima.


A fiscal de caixa fez a denúncia de racismo. Mas a polícia ressaltou que na verdade trata-se de um caso de injúria racial. Uma espécie de "racismo menos doloso", já que a funcionária Sílvia Cristina dos Santos foi agredida apenas verbalmente.

continua após publicidade
As duas acusadas, que foram identificadas como sendo Sônia Ortiz, de 46 anos e Louricilda Arrabal Machado, 47. Elas negam que tenham ofendido a mulher "Como eu serei racista? Meus filhos são pretinhos, meu marido era moreno. Eu nunca destratei ninguém pela cor" (sic), disse a dona de casa Sônia Ortiz.
 
Após o depoimento, as duas donas de casa pagaram fiança de 600 reais cada uma e foram liberadas.