Apucarana

Apucarana: Guardas municipais são acusados de tortura com taser

Da Redação ·
Mecânico de 27 anos tem 23 marcas pelo corpo que teriam sido provocadas pelas armas de eletrochoque de guardas municipais
fonte: Tribuna do Norte
Mecânico de 27 anos tem 23 marcas pelo corpo que teriam sido provocadas pelas armas de eletrochoque de guardas municipais

A Guarda Municipal (GM) de Apucarana está investigando uma denúncia de agressão. O denunciante, um mecânico de 27 anos, tem 23 marcas pelo corpo que teriam sido provocadas pelas armas de eletrochoque, conhecidas como ‘tasers’. As agressões teriam ocorrido na noite de sábado no Parque Jaboti. O mecânico de máquinas André de Jesus Gomes da Silva diz que sofreu a maior parte das agressões e dos choques depois de ter sido imobilizado. “Depois do primeiro disparo da arma eu tentei correr, atiraram outra vez e eu caí. Me bateram, algemaram e me colocaram no camburão da viatura, onde continuei apanhando e levando choque”, relata. Ontem (24) o comando da GMA informou que instaurou procedimento investigativo para apurar o caso. “Os guardas foram retirados da rua e colocados no serviço administrativo”, diz o cabo Maurício Melo, comandante da GMA. Leia mais na edição de quarta-feira (25) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná  

continua após publicidade