Apucarana

MP analisa materiais apreendidos em comitês eleitorais

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia MP analisa materiais apreendidos em comitês eleitorais
fonte: da redação
MP analisa materiais apreendidos em comitês eleitorais

Após cumprir mandados de busca e apreensão nos comitês de dois candidatos a vereador de Apucarana, o Ministério Público já iniciou a análise da documentação encontrada nos locais. Segundo o promotor Eduardo Augusto Cabrini, ainda é cedo para tirar qualquer conclusão acerca do caso.

continua após publicidade

Os mandados foram cumpridos na manhã de sábado (7) nos comitês dos candidatos à reeleição Mauro Bertoli (DEM) e Lucas Leugi (PP). “Foram apreendidos documentos que o Ministério Público (MP), considera relevante para investigar e agora estamos analisando o material”, diz o promotor.

A ação foi realizada com base em denúncias feitas ao MP, de que os candidatos estariam supostamente envolvidos em ações de compra de votos, através de fornecimento de combustíveis no caso do candidato Lucas, e de dinheiro em espécie, no caso de Mauro.

continua após publicidade

O Ministério Público não tem prazo para apresentar a denúncia. “Se houver algum elemento concreto no que foi apreendido, será instaurado inquérito policial junto à Polícia Federal (PF), para apuração da prática criminal por compra de votos. Mesmo que sejam eleitos, pode haver uma ação de investigação eleitoral para cassação do mandato por abuso do poder econômico”, explica.

Lucas Leugi e Mauro Bertoli emitiram nota logo após a ação do MP. “Temos mais de 600 adesivos colados nos carros de amigos que confiam em nosso trabalho sem nenhum tipo de troca. Alguns opositores por medo fazem denúncias vazias”, disse Lucas, em nota. “Afirmo que nenhuma irregularidade referente ao procedimento eleitoral foi encontrada em minha casa ou comitê”, diz a nota de Mauro.

A primeira operação para cumprimento de mandados do MP por denúncias de compra de votos em Apucarana aconteceu no dia 31 de outubro e teve como alvos os candidatos Tiago Cordeiro (MDB) e do vereador e candidato à reeleição José Airton Deco de Araújo (PL). Na ocasião, de acordo com o promotor, foi apreendido dinheiro em espécie e computador no comitê de Tiago, com arquivos que também estão sendo analisados. Uma pessoa foi presa em flagrante e liberada após pagamento de fiança.