Facebook Img Logo
  1. Banner
Andrey Gonçalves
Andrey Gonçalves

Fight Club

“Trabalhamos em empregos que odiamos para comprar porcarias que não precisamos. Somos uma geração sem peso na história, sem propósito ou lugar. Não temos uma Grande Guerra Mundial, nem uma Grande Depressão. Nossa Grande Guerra é a espiritual. Nossa Grande Depressão, são nossas vidas. Fomos criados pela televisão para acreditarmos que um dia seríamos milionários, estrelas de cinema ou astros do rock. Mas não seremos”.

Confesso que esse filme tem tantas citações incríveis que foi difícil escolher. Mas selecionei a que achei mais forte, espero ter acertado. 

Acorda, já é de manhã. Hora de trabalhar. A primeira coisa que você pensa é “quantos dias faltam pro final de semana”, não é? Ah, como eu sei? Digamos que eu só sei. Daí você chega em seu trabalho e não vê a hora de ir embora. Passa o dia emburrado e deixa para ser feliz só nos dias de folga. Mas tem o lado bom: com seu salário você consegue comprar as coisas que você gosta. Não todas? Algumas vai. E mesmo não gostando de nada disso, acaba relevando. Afinal a vida é assim mesmo, certo?

Tyler Durden pensa diferente. E ele fará de tudo para te fazer ver o mundo como ele vê: um completo caos. Porém, livre. Do quê? De tudo.

O Narrador é um rapaz jovem que trabalha como analista de seguros. Seu emprego lhe proporciona uma vida confortável. Consumista nato, seu apartamento é um catálogo de compras. Ele diz que muitas daquelas coisas o definem como pessoa. Há algum tempo não consegue dormir e está deprimido. O narrador está cheio dessa vida medíocre.

Na busca pela cura de sua insônia, nosso Narrador começa a entrar em vários grupos de autoajuda. Graças aos grupos, ao desabafo de tantas pessoas e do seu próprio, ele recupera seu sono. Até que Marla Singer aparece em sua vida, indo aos mesmos grupos. Ela é uma farsante, assim como ele. A mentira dela, saber que Marla não está doente, tira a sua capacidade de se abrir e, consequentemente, seu sono.

É quando Tyler Durden, um vendedor de sabão, entra em sua vida. Durden tenta mostrar ao Narrador um novo jeito de ver e viver a vida. Juntos, eles criam um grupo secreto, dentro de um bar, para que possam, digamos, extravasar seus sentimentos através de lutas corpo a corpo. Esse grupo, é chamado de O Clube da Luta. Mas ninguém pode falar sobre o clube.

Dirigido por David Fincher, que possui em seu currículo Se7ven, O Curioso Caso de Benjamin Button, A Rede Social e House of Cards, Clube da Luta (Fight Club) é um drama norte americano de 1999, baseado no romance homônimo de Chuck Palahniuk. Recebeu apenas uma indicação ao Oscar daquele ano, por Melhores Efeitos Sonoros. O elenco do filme conta com Edward Norton, como O Narrador, Brad Pitt, como Tyler Durden, Helena Bonham Carter, como Marla Singer, e Jared Leto, como Angel Face.

O Clube da Luta é o tipo de filme que te explode a cabeça e que te dá pistas a todo o tempo sobre o que realmente está acontecendo. É preciso ficar atento aos detalhes em todo momento. Nada é por acaso. O longa te faz pensar se você está realmente satisfeito com a vida que leva. Se você é realmente quem é de verdade.

Com uma boa atuação do elenco, um roteiro muito bem adaptado, trilha sonora, fotografia e tantos outros aspectos, fazem de Clube da Luta um filme obrigatório para os amantes do cinema. Mas isso deve ficar entre mim e você, ok? A primeira regra do Clube da Luta é: Você não fala sobre o clube da luta. Então, você não ouviu/leu isso de mim.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo.
Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Andrey Gonçalves
Andrey Gonçalves
Andrey é redator publicitário, blogueiro, metido a desenhista e colecionador de hobbies desde 1991.
×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber