Facebook Img Logo
  1. Banner
Andrey Gonçalves
Andrey Gonçalves

Antes de ler esse texto, é aconselhável que leia o texto sobre Kill Bill: Volume I.

Algumas palavras da noiva.

“Parecia que estava morta, não parecia? Bem, eu não estava. Mas não foi por falta de esforços, eu posso afirmar isso. Na verdade, a última bala de Bill me pôs em coma. Um coma que durou por quatro anos. Quando eu acordei... Eu comecei o que as sinopses de filme chamam de violência, de vingança. Eu urrei, esbravejei e tive satisfação sangrenta. Eu matei muita gente pra chegar nesse ponto. Mas, só falta uma. A última. A única que sobrou. E, quando eu chegar ao meu destino, eu vou matar Bill.” 

Kiddo teve lutas difíceis com Vernita Green e, principalmente, com a líder da máfia japonesa, O-Ren Ishii, e seu exército particular, os 88 loucos. Mas a lista ainda é extensa e ela não aguenta mais esperar por sua vingança. Tiraram-na a oportunidade de começar uma nova vida, o seu futuro marido e a sua filha.



A jornada da Noiva continua.
Depois de ter eliminado dois dos cinco de sua lista, Beatrix Kiddo continua sua vingança, faltando ainda três dos Víboras Assassinas: Budd, Elle – a Cobra Californiana – e Bill. Porém, o caminho até aqui não foi nada fácil, afinal ela está enfrentando os melhores assassinos do mundo. Kiddo ainda tem muito a fazer em sua jornada. Precisará de tudo que aprendeu até aqui.

Incluindo o treinamento mais duro que um guerreiro pode ter, onde todas as suas habilidades serão descritas como nada. O Lótus Branca, o responsável pelo extermínio do tempo Shaolin, o maior guerreiro vivo, Pai Mei, será seu mestre.

Dirigido e escrito por Quentin Tarantino, que possui em seu currículo: Pulp Fiction, Cães de Aluguel, Bastardos Inglórios, Django Livre e Kill Bill: Volume I. Kill Bill: Volume II é um filme de ação e aventura americano de 2004. 


O Filme conta em seu com: Uma Thurman, como Beatrix Kiddo/Mamba Negra, David Carradine, como Bill, Daryl Hannah, como Elle Driver/Cobra Californiana, Michael Madsen, como Budd, e Gordon Liu, como Pai Mei.

O desfecho de Kill Bill conseguiu ficar ainda melhor que o primeiro capitulo. Contém menos ação, porém todas as dúvidas deixadas no filme anterior são esclarecidas. O grande destaque fica para a trilha sonora, uma marca de Quentin Tarantino.

Novamente, Kill Bill é um filme para viajar, desprender-se da realidade e entrar nesse universo criado por Tarantino.

Beatrix Kiddo e sua Hatori Hanzo vão ao encontro de Bill. Ela quer mata-lo. Vai conseguir superar seu antigo mestre? 

Pai Mei ensinou tudo a ela. 

Tudo.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo.
Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Andrey Gonçalves
Andrey Gonçalves
Andrey é redator publicitário, blogueiro, metido a desenhista e colecionador de hobbies desde 1991.
×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber