Mais lidas
Ver todos

    Blogs

    Câmara de Mandaguari aprova lei de combate à violência contra a mulher

    Escrito por Adriana Savicki
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    O combate à violência contra a mulher ganhou, nesta semana, mais um reforço no município de Mandaguari. É que a Câmara aprovou na sessão ordinária da última segunda-feira (11) o Projeto de Lei nº 008/2020, de autoria do vereador presidente Hudson Guimarães, que institui a campanha municipal pela valorização do gênero feminino.

    Denominada Lei Magó, em homenagem à jovem bailarina e atriz morta no território do município no início deste ano, a legislação institui a data 25 de janeiro como o Dia Municipal de Luta e Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e suas Famílias. Além disso, estabelece uma série de medidas a serem desenvolvidas permanentemente, como uma Caminhada Anual e ações sociais e educativas com diferentes públicos e recursos, para informar, conscientizar e mobilizar a população contra o problema.

    “Não podemos fechar os olhos para isso. No Brasil, a cada sete horas, uma mulher é vítima de feminicídio. E o crime bárbaro que ocorreu em nosso município é uma triste prova de que essa situação está bem próxima a nós”, comentou o signatário do projeto, vereador presidente Hudson Guimarães. “A sensação que eu tinha era a de que Mandaguari estava com uma mancha, por causa desse crime. Com essa lei, poderemos transformar esse acontecimento repudiável em um marco de luta e salvar outras mulheres”, completou.

    De acordo com a presidente do Conselho dos Direitos da Mulher de Mandaguari, Oriana Perin, os dados no município ainda são preocupantes. “Aqui em nossa cidade, até o ano passado, tínhamos uma média de um caso de violência a cada dois dias, o que já é um número alto, principalmente se considerarmos que muitas pessoas não denunciam. E essa situação tem aumentado, principalmente neste momento de distanciamento social. Por isso a necessidade de uma política pública eficaz”, explicou.

    O pai da homenageada, Mauricio Borges, parabenizou a Câmara e agradeceu aos vereadores pela aprovação da lei. “Vocês estão, na realidade, valorizando o legado da Magó. Ela se importava muito mais com as outras pessoas do que com ela mesma. E essa ação de trazer informação para as pessoas contribui para que outras mulheres não sofram o que ela sofreu”, ressaltou.

     

    MAGÓ

    A bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, de 25 anos, foi encontrada morta nas proximidades de uma cachoeira no município de Mandaguari, no dia 26 de janeiro de 2020. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) comprovou que a jovem foi abusada sexualmente e morta por asfixia – causada por estrangulamento com uma peça de roupa íntima. O crime bárbaro comoveu pessoas de todo o país e a imagem de Magó passou a representar a luta pela valorização do gênero feminino e contra os diversos tipos de violência que as mulheres sofrem diariamente. 

    TNTV
    TNTV

    Jornal da Tribuna 2ª Edição - 01/07

    Deixe seu comentário sobre: "Câmara de Mandaguari aprova lei de combate à violência contra a mulher"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.