Blog da Camilla Bolonhezi

ENTENDA: AFINAL, O QUE É UM GENOCIDA?

Da Redação ·

Em todas as redes sociais, uma palavra vem sendo repetida milhares de vezes, todos os dias, nas mais variadas plataformas digitais: GENOCIDA. Mas, afinal, o que é um genocida? Como classificá-lo? Por que algumas pessoas vêm sendo acusadas de sê-lo?

continua após publicidade

Longe de fazer um julgamento preciso sobre a amplitude dos crimes cometidos por lideranças e fazer um julgamento nomeando-as, quero abordar, neste texto, o significado do termo e retratar alguns conhecidos e condenados genocidas da história. A reflexão sobre as polêmicas que envolvem o motivo de essa palavra estar desde ontem entre os Trending Topics do Twitter eu deixo a cargo de vocês, caros leitores.

A história da humanidade foi marcada por diferentes momentos e atuações, em que as concepções sobre crimes que atentassem contra a vida humana viabilizaram que estes fossem socialmente aceitos ou vistos como algo comum.

continua após publicidade

Na virada do século XIX para o século XX, a humanidade atinge um grau de desenvolvimento industrial e tecnológico que faz crer que o estado republicano, pautado pelos aparatos jurídicos, seria capaz de levar o mundo a um tempo de paz e prosperidade.

O que se viu, na contramão, foi a ascensão de governos totalitários, autoritários, a instituição de ditaduras e uma sequência de crimes contra a humanidade. O primeiro ato de genocídio, em nossa história moderna, aconteceu durante a Primeira Guerra Mundial, quando o ainda existente Império Otomano, hoje Turquia, responsabilizou o povo armênio pelo fracasso de uma campanha contra a Rússia. Esses povos foram vítimas de um plano que visava ao desarmamento, ao isolamento e à tomada dos bens destes sob o pretexto de que eles eram traidores e donos de uma cultura vil e naturalmente degenerada. 

Desse momento em diante, os crimes de genocídio não pararam. Hitler, Stálin, Mussolini, Mao Tsé-Tung, entre outros, fazem da morte um aparato de manutenção e perpetuação do próprio poder.

continua após publicidade

No Brasil, é possível destacar o genocídio das populações indígenas e o caso do hospital de Barbacena (descrito no livro “Holocausto Brasileiro”, de Daniela Arbex) como exemplos desse crime hediondo.

Genocídio foi um conceito desenvolvido na década de 1940 para denominar o que havia sido realizado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial contra grupos específicos, como judeus, ciganos, homossexuais e deficientes. Essa palavra está relacionada com a tentativa de exterminar um grupo de pessoas devido à etnia, à raça, à religião ou à nacionalidade.  O significado da palavra faz menção a ações coordenadas com o objetivo de exterminar pessoas 

O genocídio é considerado um crime contra a humanidade por meio de uma determinação realizada pela ONU, em 1948. Crimes cometidos e identificados como práticas de genocídio são, atualmente, julgados pela Corte Penal Internacional de Haia, nos Países Baixos.

continua após publicidade

Populações vulneráveis, sem o devido amparo e proteção, são deixadas para morrer, o que configuram ações genocidas. Agora que você conhece um pouco mais sobre o significado de genocídio, faça a sua própria análise sobre o uso desse termo!

 REFERÊNCIAS

SILVA, D. N. O que é genocídio? Brasil Escola, c2021. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-genocidio.htm.Acesso em: 5 maio 2021.

RODRIGUES, L. O. Genocídio e etnocídio. Mundo Educação, c2021. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/sociologia/genocidio-etnocidio.htm.Acesso em: 5 maio 2021.

Tags relacionadas: #história #redes sociais