Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Aécio e Temer estão provando do veneno que produziram", diz Lula à rádio da Paraíba

Loading...

POLíTICA

"Aécio e Temer estão provando do veneno que produziram", diz Lula à rádio da Paraíba

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta (5), em entrevista à rádio Arapuan, da Paraíba, que o senador Aécio Neves (PSDB) e o presidente Michel Temer (PMDB) "estão provando do veneno que produziram neste país". "Estão colhendo tempestade porque plantaram vento. Este país está com clima de ódio, intolerância, porque eles criaram desde 2013, culpando o PT. Essa gente não tem competência, não sabe o que fazer, não conhece de povo e qualquer coisinha é cortar. Corta só no pobre. E no rico não cortam nada", continuou.

A entrevista foi transmitida ao vivo na rede social de Lula -até as 19h, o vídeo havia sido visualizado 136 mil vezes. Lula também associou as manifestações de 2013 e o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) a um suposto interesse dos Estados Unidos em desestabilizar o Brasil. "Sempre tive muitas dúvidas em relação à movimentação de 2013. Era uma manifestação que tinha muitos interesses, o principal afastar o PT do governo. Acho que tem muita gente grande interessada em desestabilizar o Brasil", disse.

"O Brasil tinha virado protagonista internacional. Era o país que tinha acabado com a fome, incluído os pobres no orçamento da União, que teve a maior ascensão da primeira década do século 21 no mundo... Nenhum país conseguiu fazer o que o Brasil fez em apenas 12 anos. Acho que tinha interesse americano que o Brasil não desse certo. É um "achômetro". Não tenho prova nenhuma."

Sobre 2018, Lula ressaltou a necessidade de que o próximo presidente seja eleito pelo voto. "Só uma pessoa eleita democraticamente pelo voto vai ter credibilidade para propor as mudanças que o Brasil precisa", afirmou. Ele disse que sonha em construir "um bloco de esquerda progressista com PSB, PDT, PCdoB e personalidades dignas que existem nos outros partidos".

"Primeiro vamos ver se sou candidato, se o partido vai me lançar. Se o partido tomar a decisão, vamos começar a conversar. Vamos construir uma aliança política com base num compromisso programático para o Brasil. Tenho vontade de voltar a ser presidente para cuidar desse povo. A palavra não é governar, é cuidar. O rico não precisa do governo."

O ex-presidente também aproveitou para criticar a Lava Jato e as delações premiadas. "Sou um defensor do estado de direito democrático. Não pode por conta de delação já culpar porque tem muito delator mentindo. Os procuradores da Lava Jato se comprometeram com mentiras e agora não têm o que entregar. No meu caso já provei minha inocência, estou querendo que provem minha culpa."

Lula ainda condenou o ajuste fiscal e defendeu que o Estado volte a ser "indutor da economia". "É preciso acabar com essa bobagem que o Estado tem que ser fraco. No mundo desenvolvido todos os Estados são fortes. Somente onde são fracos o governo não arrecada nada", disse.

"Sou favorável que o governo não gaste o que não tem, mas o governo tem capacidade de endividamento e, no caso de fazer investimento, pode se endividar para fazer obra de infraestrutura e o país voltar a crescer."

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias