Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Temer quer esperar denúncia na Câmara para nomear procurador-geral

Loading...

POLíTICA

Temer quer esperar denúncia na Câmara para nomear procurador-geral

MARINA DIAS E GUSTAVO URIBE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Michel Temer decidiu esperar a apreciação da denúncia contra ele pela Câmara dos Deputados antes de escolher o substituto do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cujo mandato termina em setembro.

Temer sabe que a nomeação do novo chefe da PGR (Procuradoria-Geral da República), responsável por apresentar denúncias contra ele, é fundamental para sua manutenção no cargo, mas foi aconselhado por auxiliares próximos a não tomar nenhuma atitude que pareça "açodamento".

Segundo a reportagem apurou, o presidente quer ganhar tempo para avaliar a fundo o perfil dos postulantes ao posto e entender qual será o procedimento da Câmara diante das denúncias. Isso porque, além da acusação de corrupção passiva apresentada pela PGR na segunda-feira (25), Temer deve ser alvo de outras duas denúncias, por obstrução de justiça e formação de organização criminosa.

A expectativa no Palácio do Planalto, portanto, é que essas peças sejam apreciadas juntas na Câmara para evitar, nas palavras de um assessor presidencial, o "desgaste fatiado" de Temer.

Em reunião com líderes da base aliada nesta quarta-feira (28), o presidente defendeu a tese de que todas as denúncias devem ser analisadas ao mesmo tempo.

"O ideal é que votemos em conjunto, isso é por óbvio, até porque o inquérito trata das três coisas [corrupção passiva, obstrução de justiça, formação de organização criminosa]", disse o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), após o encontro com Temer.

Para se livrar da denúncia, o presidente precisa que 172 deputados não compareçam ou votem contra a aceitação do processo e, para isso, apostará na tese de que está sendo perseguido por Janot, em busca do espírito de corpo dos parlamentares, muitos deles investigados.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator da Lava Jato na corte, decidiu que vai enviar a denúncia contra Temer diretamente para a Câmara. O ministro entendeu, como queria o Planalto, que a defesa política do presidente tem que ser feita no parlamento e a jurídica, no STF, caso o Judiciário tenha autorização para analisar o caso.

LISTA

Hoje a tendência é que Temer se atenha à lista tríplice -composta por Nicolao Dino, Raquel Dodge e Mario Bonsaglio- para fazer a nomeação para o cargo de novo PGR.

Na avaliação de aliados, o presidente só poderia nomear alguém de fora da lista caso ganhasse musculatura política capaz de suportar o desgaste que a quebra de tradição geraria.

Desde a noite de terça (26), quando a ANPR (Associação Nacional de Procuradores da República) divulgou a lista tríplice, o peemedebista conversou com assessores sobre a indicação. Imediatamente, descartou o primeiro colocado, Dino, por ser aliado a Janot e irmão do governador do Maranhão, Flávio Dino, de oposição ao governo. Raquel é o nome que ganhou mais força junto ao presidente.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias