Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Lula diz que instituto não discutiu pagamento por armazenagem de bens

Loading...

POLíTICA

Lula diz que instituto não discutiu pagamento por armazenagem de bens

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - No depoimento prestado ao juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira (10), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi indagado sobre o motivo pelo qual, mesmo depois de lucrar R$ 7,5 milhões com palestras entre 2011 e 2013, o Instituto Lula concordou que a empreiteira OAS continuasse pagando por aluguel de espaço na transportadora Granero, a fim de armazenar os bens que o ex-presidente recebeu durante o seu mandato.

A OAS pagava R$ 20 mil mensais, segundo o Ministério Público Federal.

O ex-presidente respondeu: "Era porque talvez todo mundo [no instituto] achasse que tivesse certo e que não era preciso".

"E ninguém nunca discutiu no Instituto de que era preciso pagar isso [armazenagem]. Estava tão tranquilo a questão do depósito do material...", complementou o petista.

Lula disse que o responsável pelo Instituto Lula, Paulo Okamoto, poderia dar mais informações aos responsáveis pela Operação Lava Jato, e que partiu dele a iniciativa de procurar o executivo Léo Pinheiro, da OAS, para que a empreiteira bancasse o valor do armazenamento.

Lula disse que no começo das atividades do Instituto Lula, em 2011, não havia dinheiro e que depois buscou-se uma "arrecadação" -o Ministério Público Federal não fez perguntas sobre o que seria a "arrecadação".

"Nós não tínhamos dinheiro, porque não tínhamos nem começado a pensar em fazer a arrecadação. Por isso é que eu acho que foi conversado com o Léo Pinheiro", disse o ex-presidente.

Lula também afirmou que não sabia a dimensão dos bens que havia recebido como presente durante os seus dois mandatos na Presidência. O petista disse que, se soubesse dos problemas futuros que enfrentaria por causa da guarda dos bens, teria deixado tudo no Palácio do Alvorada.

"Eu nunca, nunca, entrei nos porões do Palácio do Alvorada para saber se tinha uma, duas ou mil caixas. Nunca, nunca entrei aonde se guardava os acervos da Presidência da República para saber se tinha uma ou duas caixas. Ora, eu sei que aquilo, eu sei que o acervo, é uma coisa privada mas de interesse público. Portanto o presidente da República que sai tem que ter a responsabilidade de tentar cuidar daquilo. Eu, se soubesse que ia dar isso, eu teria deixado lá no Palácio pro próximo presidente ter que cuidar. Como eu não tinha interesse por nada, eu poderia deixar... Sabe?"

O ex-presidente afirmou não ter conhecimento sobre a forma pela qual a OAS fazia os pagamentos pelo aluguel do espaço de armazenagem. Ele disse que o tema foi tratado por Okamoto.

"Não sei, não sei. Eu sei que o presidente do Instituto [Lula], que foi uma das pessoas... Parece que a partir do começo de janeiro foi chamado para tentar encontrar um lugar para guardar essas coisas. O que ele disse aqui [na Justiça Federal] é que tinha chamado o Leo Pinheiro para perguntar se ele tinha algum galpão para guardar essas coisas."

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias