Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Para evitar rebelião do PMDB, Temer considera recriar liderança da maioria

Loading...

POLíTICA

Para evitar rebelião do PMDB, Temer considera recriar liderança da maioria

GUSTAVO URIBE, DANIEL CARVALHO E PAULO GAMA

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Para evitar uma rebelião da bancada federal do PMDB na Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer avalia recriar o posto de líder da maioria, acomodando o partido em um cargo de articulação política.

A proposta é discutida desde o ano passado entre o governo federal e a base aliada e ganhou força junto ao presidente desde o início da semana, diante das queixas do partido de perda de espaço na Esplanada dos Ministérios.

Nas palavras de um assessor presidencial, a recriação do posto a partir da próxima semana tem "70% de chances de ocorrer", faltando apenas uma decisão final do presidente. Os principais cotados para assumir o posto são os peemedebistas Baleia Rossi (SP) e Lelo Coimbra (ES).

O PMDB cobra uma contrapartida do Palácio do Planalto por ter sido entregue ao PSDB o comando da Secretaria de Governo, pasta responsável pela articulação política junto ao Congresso Nacional e que antes era chefiada por Geddel Vieira Lima (PMDB).

Com a recriação do posto, o presidente evitaria se indispor com o chamado centrão, retirando da liderança do governo o deputado federal André Moura (PSC-SE), próximo ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Preso no rastro da Operação Lava Jato, Cunha tem ameaçado nos bastidores prejudicar o governo federal em depoimentos à Justiça Federal caso seja trocado o líder do governo federal.

O presidente reconhece que não foram fechadas as feridas no PMDB da disputa pelo comando da Câmara dos Deputados e tem manifestado a preocupação de que elas interfiram nas votações das reformas previdenciária e trabalhista.

Na prática, a relevância da liderança da maioria é mínima. No entanto, é mais uma estrutura para acomodar indicações políticas. O PMDB é a maior bancada da Câmara, com 65 deputados.

O apetite do partido por cargos aumentou ainda mais quando o PSDB chegou, na semana passada, ao total de cinco ministérios no governo Temer, um a menos que o PMDB.

Pressionavam o Planalto pela liderança do governo e queriam espaços também nos Ministérios da Saúde, da Educação e de Cidades, mais políticos.

Apesar de negarem interesse no Ministério da Justiça e Segurança Pública por considerarem a pasta alvo de muito desgaste com a crise penitenciária e com a Lava Jato, peemedebistas de Minas Gerais fazem lobby para emplacar o deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG).

No Senado Federal, também causou temor a reação do peemedebista Raimundo Lira (PB) com a escolha de Edison Lobão (MA) para a presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), em um movimento que teve as digitais de Renan Calheiros (PMDB-AL).

Para evitar insatisfações na bancada do partido, o Palácio do Planalto costura acordo para que Lira seja o relator da reforma previdenciária quando ela chegar ao Senado Federal.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56