Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ex-funcionária da Odebrecht nega conhecer ex-ministro Palocci em depoimento

Loading...

POLíTICA

Ex-funcionária da Odebrecht nega conhecer ex-ministro Palocci em depoimento

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em depoimento nesta sexta-feira (3), a ex-funcionária da Odebrecht Maria Lúcia Guimarães Tavares negou conhecer o ex-ministro Antônio Palocci e o assessor dele, Branislav Kontic. Maria Lúcia foi ouvida como testemunha de acusação na ação penal que investiga o ex-ministro, o empreiteiro Marcelo Odebrecht e mais 13 pessoas. Eles foram denunciados pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. As informações são da Agência Brasil.

O advogado de Palocci e de Branislav Kontic, José Roberto Batochio, questionou se ela já tinha visto o ex-ministro, e Maria Lúcia respondeu: “só vi na televisão. Mas nunca estive pessoalmente com ele. E nunca falei com ele”.

A testemunha trabalhava no Setor de Operações Estruturadas da empreiteira e era responsável por controlar as planilhas que informavam sobre remessas de dinheiro para pessoas beneficiadas pelo esquema de corrupção entre a Petrobras e a Odebrecht. Os documentos eram preenchidos com codinomes.

A ex-funcionária, que assinou acordo de delação premiada, reafirmou hoje (3) o que já havia dito na colaboração, que o único apelido que ela sabia a quem se referia era o da publicitária Mônica Moura, apontada na planilha como “Feira”. Respondendo a questionamentos da defesa da publicitária, Maria Lúcia informou: “o único codinome que eu conhecia era o de Mônica Moura, que era 'Feira', porque ela foi lá na sala. Ela foi pegar um dinheiro comigo”. A ex-funcionária afirmou ainda que Mônica Moura teria ido duas vezes à empresa para receber valores.

Além de Maria Lúcia Tavares, também prestam depoimento hoje à tarde o senador cassado, Delcídio do Amaral, o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco e o engenheiro Zwi Skornicki. Todos assinaram acordo de delação premiada e têm obrigação de contar o que sabem.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, Palocci e a construtora Odebrecht teriam estabelecido um “amplo e permanente esquema de corrupção” entre 2006 e 2015. Mas a defesa de Palocci nega as acusações, chamando de afirmações “vazias”.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias