Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

ATUALIZADA - PF indicia Lula e vê atuação de petista para favorecer Odebrecht

Loading...

POLíTICA

ATUALIZADA - PF indicia Lula e vê atuação de petista para favorecer Odebrecht

- Atualizado em 05/10/2016 22:27

BELA MEGALE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal indiciou sob suspeita de corrupção o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de beneficiar um parente, Taiguara Rodrigues, em contratos com a empreiteira Odebrecht. Rodrigues, sobrinho da primeira mulher de Lula, e Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro da construtora, foram indiciados sob suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

Segundo a investigação, o ex-presidente teria beneficiado o empresário, que trata como sobrinho, por meio da Odebrecht em contratos em Angola. Lula também teria recebido recursos ilícitos ao atuar na liberação de recursos junto ao BNDES a favor de obras do grupo baiano em Angola. Ao todo, a empreiteira recebeu cerca de US$ 1,5 bilhão do banco estatal para investir no país.

Enviado na terça (4) para análise do MPF (Ministério Público Federal), o relatório final assinado pela delegada Fernanda Costa Oliveira, que esteve à frente das investigações, diz que a Exergia Brasil, empresa de Rodrigues, foi subcontratada pela Odebrecht para prestar serviços no país africano sem nunca ter estrutura ou funcionários para executá-los.

Na avaliação dos investigadores, a função da Exergia era apenas a de receber propina, sendo que parte dela teria sido remetida a Lula. De 2009 a 2015 a empresa recebeu R$ 20,6 milhões da Odebrecht, sua única cliente, por meio de 17 contratos.

Trocas de mensagens entre Rodrigues e Valmir Moraes, um dos seguranças de Lula, indicam que o empresário falava com frequência com o petista sobre sua atuação em Angola, inclusive quando o "tio" ainda era presidente.

De acordo com as mensagens Lula e Rodrigues ficaram no hotel Epic Sana, onde se reuniram. Um pouco antes de se encontrarem em Luanda, Rodrigues enviou mensagem ao celular do segurança pedindo para que ligasse para ele.

Audiência pública para tomada de depoimento do proprietário da empresa de engenharia Exergia Brasil, Taiguara Rodrigues dos Santos

Empresário Taiguara Rodrigues dos Santos depõe em audiência pública

O relatório também traz conversas de 2015 do empresário com José Emanuel Ramos, seu sócio em algumas empresas, como a G74, que nunca teve atividade profissional e servia para lavar dinheiro da Exergia, segundo a PF. Nelas, Rodrigues diz que teve uma reunião muito boa com o presidente da Odebrecht.

No dia seguinte, Ramos diz a ele que visitou todos os diretores da empreiteira baiana. Em ambos os casos, não há clareza se as conversas aconteceram no Brasil ou no exterior.

Posteriormente, Rodrigues disse que pediu que o presidente da Odebrecht em Angola, Antônio Daiha Blando, enviasse projetos para ele decidir com "um tio", que seria Lula. O empresário afirma que Daiha poderia criar um contrato fictício para obras da hidrelétrica de Cambambe, em Angola. A reforma da usina recebeu US$ 400 milhões do BNDES. Só nesse contrato, a empresa de Rodrigues faturou R$ 3,5 milhões.

Em um documento de 2008 apreendido com o empresário, ele relata que teve uma conversa de 50 minutos com Lula, que tinha lhe dado "carta branca".

Cerca de 20 dias depois, há o registro de troca de mensagens entre Rodrigues e Hélder João Beijo, ex-funcionário do Tribunal de Contas em Angola, em que ele diz que iria para Brasília tratar da constituição da Exergia. Menos de seis meses depois a empresa foi aberta aberta.

Em outra conversa, Rodrigues diz ao interlocutor de Angola que foi informado que o pecuarista José Carlos Bumlai o procurou a pedido do "chefe maior", para tocar juntos projetos em no país africano.

PARTICIPAÇÃO

Para a PF, Lula houve a participação direta para que Rodrigues abrisse a empresa.

O relatório é a conclusão da Operação Janus, deflagrada em maio e que teve Taiguara como dos alvos.

Em depoimento à PF, o empresário afirmou que recebeu os R$ 20,6 milhões para intermediar contatos para a Odebrecht em Angola via sua empresa. Ele também conformou que o único cliente que a sua empresa teve foi a empreiteira baiana.

Uma secretária da Exergia ouvida pela PF aumentou a suspeita de que a empresa só existiu no papel. Ela afirmou, em depoimento, que pagava apenas despesas pessoais de Rodrigues, e que estas eram muito altas.

OUTRO LADO

"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem sua vida investigada há 40 anos, teve todas as suas contas e de seus familiares devassadas, seu sigilo bancário, fiscal e telefônico quebrado e não foi encontrada nenhuma irregularidade. Lula não ocupa mais nenhum cargo público desde 1º de janeiro de 2011, e sempre agiu dentro da lei antes, durante e depois de ocupar dois mandatos eleitos como presidente da República", diz a defesa do ex-presidente.

Os advogados do petistas dizem que vão analisar o documento da Polícia Federal, "vazado para a imprensa e divulgado com sensacionalismo antes do acesso da defesa, porque essa prática deixa claro que não são processos sérios de investigação, e sim uma campanha de massacre midiático para produzir manchetes na imprensa e tentar destruir a imagem do ex-presidente mais popular da história do país".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 09/12

HELENA CORREA DE ANDRADE, recém-nascida

MAUÁ DA SERRA 09/12

CLAUDENIR COELHO SOARES, 35 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60