Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

BC bloqueia R$ 32 mi do marqueteiro João Santana e de Mônica Moura

Loading...

POLíTICA

BC bloqueia R$ 32 mi do marqueteiro João Santana e de Mônica Moura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Banco Central bloqueou R$ 32 milhões em contas do casal João Santana e Mônica Moura, detido na semana passada na Operação Lava Jato.
Marqueteiro do PT em três eleições presidenciais, Santana e a mulher são suspeitos de receber pagamentos ilícitos no exterior da Odebrecht e do lobista Zwi Skornicki, ex-representante do estaleiro Keppel Shipyard no Brasil.
O juiz federal Sergio Moro havia decretado na ordem de prisão que quantias de até R$ 25 milhões nas contas dos dois e de duas empresas deles ficassem indisponíveis. Os valores encontrados nos bancos foram informados a Moro nesta segunda-feira (29).
Em depoimento à Polícia Federal, o casal -que foi preso no âmbito da Lava Jato na semana passada- afirmou que recebeu dinheiro da empreiteira com origem em caixa dois de campanhas eleitorais feitas no exterior e negou qualquer relação com desvios na Petrobras.
Segundo Mônica, o valor recebido no exterior equivale a cerca de R$ 30 milhões e não foi declarado à Receita Federal pelo casal ou pelas empresas das quais eles são sócios.
ZWI E MIGLIACCIO
A mesma ordem do juiz Moro também determinava o bloqueio de quantias do lobista Zwi Skornicki, suspeito de fazer pagamentos para o casal no exterior, e de Fernando Migliaccio, ex-executivo da Odebrecht suspeito de controlar uma rede de empresas offshores.
Skornicki também foi preso na 23ª fase da Lava Jato, denominada Acarajé, porque era esse o termo que funcionários da Odebrecht usavam para designar propina, de acordo com a PF.
Lobista, Skornicki é acusado de fazer depósitos em contas de João Santana no exterior.
Nas contas de Skornicki e de sua empresa, foram bloqueados R$ 4,9 milhões. O ex-executivo da empreiteira teve R$ 2 milhões retidos pelo Banco Central.
Preso na Suíça desde a semana passada, Migliaccio, 47, tinha como função, nas palavras do juiz federal Sergio Moro, "administrar contas secretas" da empreiteira, incluindo repasses de propina a agentes públicos. A Odebrecht afirma que ele deixou a empresa em dezembro de 2015.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 27/02

MARCELO BUCCI, 50 ANOS

SÃO JOÃO DO IVAÍ
NAIR L. SANTOS, 72 ANOS

CAMBIRA 27/02

ALAIDE ALVES DE JESUS, 78 ANOS

KALORÉ
CLAUDINEI GOMES, 42 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1907 · 25/02/2017

03 25 35 38 44 48