Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Moro relata ao STF risco de fuga de executivos da Odebrecht

Loading...

POLíTICA

Moro relata ao STF risco de fuga de executivos da Odebrecht

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em ofício encaminhado ao Supremo Tribunal Federal, o juiz federal Sergio Moro usou o risco de fuga de executivos da Odebrecht como argumento para a permanência na prisão do empreiteiro Marcelo Odebrecht.
O empresário, preso desde junho na Operação Lava Jato, tenta conseguir habeas corpus na corte, o que foi negado em instâncias inferiores.
Em documento dirigido ao ministro Teori Zavascki nesta quarta-feira (24), Moro diz que dois executivos da Odebrecht, Fernando Migliaccio e Luiz Eduardo da Rocha Soares da Silva, se mudaram para os Estados Unidos durante a investigação com despesas bancadas pela empreiteira.
Migliaccio era alvo da fase Acarajé, deflagrada na segunda-feira (22), mas já estava preso na Suíça.
Moro lembrou ainda do caso de Bernardo Shiller Freiburghaus, suspeito de intermediar propina da Odebrecht e que se "refugiou" na Suíça.
"Os fatos em princípio revelam risco à aplicação da lei penal e risco à instrução e investigação em relação às apurações em andamento", escreveu o juiz.
No mesmo ofício, Moro lembrou que o Ministério Público Federal pediu uma nova prisão preventiva do empreiteiro. O juiz disse que rejeitou o pedido para "evitar a percepção equivocada" de que buscava obstruir a libertação do empresário por outra instância da Justiça.
ANOTAÇÕES
No despacho que decretou a prisão do marqueteiro João Santana e sua mulher, Mônica Moura, Moro já tinha dito que anotações encontradas no celular de Marcelo Odebrecht sugeriam que o ex-presidente do grupo orientou executivos que controlavam contas no exterior a sair do país.
Anotações encontradas no celular de Marcelo Odebrecht trazem frases suspeitas, na visão do juiz, como "HS/LE. Como estão? Ir para fora já", "HS e equipe: fechar todas as contas sob risco", "Proteger nossos parceiros sem aparecermos" e "HS e equipe: viajar já".
HS seria o executivo Hilberto Silva e LS, Luiz Eduardo da Rocha Soares.
Silva aparece como representante da Odebrecht na documentação de uma offshore chamada Smith & Nash, suspeita de intermediar propinas para ex-executivos da Petrobras, como Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco.
Marcelo Odebrecht foi chamado nesta semana na sede da PF no Paraná para dar explicações sobre as anotações, mas se manteve em silêncio.
A empreiteira vem dizendo que está "colaborando com as investigações".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias