Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dilma aceita trocar CPMF por proposta alternativa, afirmam deputados

Loading...

POLíTICA

Dilma aceita trocar CPMF por proposta alternativa, afirmam deputados

RANIER BRAGON
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Deputados federais que participaram de um almoço nesta terça-feira (23) com Dilma Rousseff afirmaram que a presidente da República aceita abrir mão da recriação da CPMF em troca de uma proposta alternativa de incremento das receitas federais.
Com o objetivo de conter a crise política que ameaça seu mandato, Dilma iniciou nesta terça encontro com as bancadas partidárias da Câmara, no Palácio da Alvorada. A primeira foi a do PTB.
De acordo com relato de deputados, Dilma fez uma exposição sobre a crise econômica pela qual passa o país e voltou a pedir apoio à recriação da CPMF -que, com uma alíquota de 0,38% sobre a movimentação bancária, poderia render R$ 70 bilhões anuais aos cofres da União, Estados e municípios.
A presidente, porém, teria dito estar aberta a uma alternativa. Na reunião, o PTB apresentou uma proposta de reorganização tributária, com a extinção de algumas cobranças e criação de outras.
O líder da bancada petebista na Câmara, Jovair Arantes (GO), afirmou que Dilma manifestou grande interesse na proposta e ficou de dar uma resposta ao partido nos próximos dias. Jovair não quis detalhar seu projeto, afirmando que o tornará público caso haja manifestação positiva da petista.
"Somos homens e mulheres eleitos pela população, temos responsabilidade com o país e achamos que não podemos nos furtar dessa responsabilidade de contribuir para a saída da crise", afirmou Jovair, que lidera uma bancada dividida sobre o apoio ao governo. Com 22 deputados federais, o PTB é um partido de porte pequeno na Câmara -a Casa tem 513 assentos.
Desde que anunciou a tentativa de recriação da CPMF, o governo tem sido criticado devido à impopularidade do tema. Até mesmo aliados do Palácio do Planalto afirmam que são muito pequenas as chances de a medida ser aprovada no Congresso.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias