Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Justiça quebra sigilo de Capez e de dois integrantes do governo Alckmin

Loading...

POLíTICA

Justiça quebra sigilo de Capez e de dois integrantes do governo Alckmin

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Atendendo a pedido do Ministério Público, o Tribunal de Justiça de São Paulo decretou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), e de dois integrantes do governo Geraldo Alckmin (PSDB), investigados por supostas fraudes na merenda escolar.
A decisão é do desembargador Sérgio Rui da Fonseca, que também autorizou a abertura de uma investigação contra Capez, integrantes do governo e membros da cooperativa Coaf, que já admitiram ter pagado propina num contrato de R$ 8,5 milhões para fornecimento de suco de laranja à Secretaria da Educação do Estado.
Capez afirma que, antes de a Procuradoria-Geral de Justiça ter pedido a quebra de seu sigilo, ele próprio já havia disponibilizado seus dados pessoais ao órgão.
Os dois integrantes do governo paulista que tiveram quebra de sigilo decretada são Luiz Roberto dos Santos, o Moita, ex-chefe de gabinete da Casa Civil, e Fernando Padula, ex-chefe de gabinete da Secretaria da Educação.
Moita foi flagrado em um grampo da polícia, durante as investigações da operação Alba Branca, orientando membros da Coaf sobre como aumentar seus ganhos em um contrato com o governo. Nesse grampo, ele disse ter falado sobre o tema com Padula.
Moita era braço direito do secretário-chefe da Casa Civil, Edson Aparecido, e foi afastado da função um dia antes de a operação Alba Branca ser deflagrada, em 19 de janeiro. Aparecido disse ter pedido à Corregedoria do Estado para investigar o ex-chefe de gabinete. Já Padula, nome forte na pasta da Educação, foi afastado do cargo neste mês pelo novo secretário, José Renato Nalini. Padula passara por várias gestões na secretaria e é visto como um homem de confiança do governo.
Também foi decretada a quebra de sigilo de dois ex-assessores que trabalharam no gabinete de Capez e que, segundo as investigações, mantiveram contato com um lobista da cooperativa. São eles Jéter Rodrigues e Merivaldo dos Santos.
Em sua primeira entrevista após ter sido citado nas investigações, o presidente da Assembleia disse à reportagem que não responde por seus assessores.
Um terceiro servidor, que ainda trabalha como assessor de Capez, também é investigado por ter sido mencionado por ex-dirigentes da Coaf: Luiz Carlos Gutierrez, conhecido como Licá. As quebras de sigilo alcançam ainda ex-dirigentes e pessoas ligadas à Coaf.
OUTRO LADO
Capez disse que nunca teve relações com a Coaf. "Não interferi em favor da Coaf na Secretaria da Educação. Não recebi nenhum centavo da Coaf. Não autorizei ninguém a falar em meu nome com a Coaf. Nenhuma dessas pessoas, pelos próprios depoimentos, teve contato comigo."
O ex-chefe de gabinete da Casa Civil, o Moita, e seu advogado não foram localizados. Padula, ex-chefe de gabinete da Educação, negou anteriormente qualquer envolvimento com fraudes na merenda. A reportagem não localizou os ex-assessores de Capez.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 05/12

APUCARANA YOSHIMATSU NIKI, 99 ANOS
JOSÉ BECEL, 80 ANOS
SULINA ANTÔNIO DA SILVA, 82

APUCARANA 05/12

YOSHIMATSU NIKI, 99 anos

SULINA ANTONIA DA SILVA, 82 anos

JOSE BECEL, 80 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1882 · 03/12/2016

09 10 19 35 37 41