Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Antes de analisar afastamento, STF vai julgar denúncia de Cunha, diz Teori

Loading...

POLíTICA

Antes de analisar afastamento, STF vai julgar denúncia de Cunha, diz Teori

MÁRCIO FALCÃO
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Teori Zavascki afirmou nesta terça-feira (2) que a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por suposta participação no esquema de corrupção da Petrobras será discutida antes do pedido de afastamento do cargo.
A expectativa do ministro é que a situação de Cunha comece a ser discutida pelo Supremo ainda no fim deste mês. Teori não descartou que a denúncia e o pedido de afastamento sejam analisados na mesma sessão, mas afirmou que a acusação da Procuradoria tem prioridade.
Cunha foi denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Neste inquérito, ele é acusado de receber US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da Petrobras.
Segundo a denúncia da PGR, as irregularidades no contrato ocorreram entre 2006 e 2007 e os pagamentos a Cunha foram feitos a partir de 2011.
Os ministros vão decidir se abrem ou não ação penal contra o deputado. Se acolherem a denúncia, Cunha passa a ser réu.
O presidente da Câmara ainda é investigado no Supremo sob a suspeita de que recursos desviados da estatal abasteceram contas secretas ligadas ao deputado e sua família no exterior.
Há ainda investigações na Procuradoria agora sobre o uso do cargo no Congresso para se beneficiar e atrapalhar as investigações do esquema de corrupção da Petrobras e também de receber propina em esquema que teria desviado recursos do fundo de investimentos do FGTS.
Na avaliação de advogados que acompanham a rotina do Supremo, se receberem a denúncia, os ministros deixam a situação de Cunha mais delicada juridicamente, o que favoreceria seu afastamento do comando da Câmara.
A saída de Cunha da presidência e a perda do mandato foram pedidas ao STF por Janot em dezembro. O deputado ainda precisa apresentar sua defesa. Na ação, o procurador-geral classificou o presidente da Câmara de "delinquente", disse que ele transformou a Casa em um "balcão de negócios" e fez "utilização criminosa das prerrogativas parlamentares".
Janot apontou ainda "manobras espúrias" do peemedebista para atrapalhar as investigações contra ele no esquema de corrupção da Petrobras e o andamento do processo de cassação na Câmara e também sustentou que o parlamentar e seus aliados tentam "intimidar quem ousou contrariar seus interesses". Para a Procuradoria, Cunha ultrapassou "todos os limites aceitáveis".
Cunha nega ligação com o esquema de corrupção da Petrobras e acusa Janot de perseguição política.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 06/12

VICTOR FUGANTI, 94 ANOS

ANTÔNIO JACOMETO, 81 ANOS

GUILHERME GONÇALVES SOARES, 17 ANOS

APUCARANA 05/12

APUCARANA YOSHIMATSU NIKI, 99 ANOS
JOSÉ BECEL, 80 ANOS
SULINA ANTÔNIO DA SILVA, 82

MEGA SENA

CONCURSO ·