Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dilma quer aguardar eleição de líder do PMDB para nomear novo ministro

Loading...

POLíTICA

Dilma quer aguardar eleição de líder do PMDB para nomear novo ministro

GUSTAVO URIBE E MARINA DIAS
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Com o acirramento da disputa pela sucessão da liderança do PMDB na Câmara dos Deputados, a presidente Dilma Rousseff decidiu aguardar o desfecho da disputa interna para nomear o novo ministro da Aviação Civil.
A petista indicou a auxiliares e assessores que "não tem pressa" em definir o novo ocupante do cargo e não pretende entregar o posto ao partido aliado sem a garantia de que o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), será reeleito.
A eleição interna foi marcada para o dia 17 de fevereiro. Na tentativa de impedir a reeleição do peemedebista carioca, que é aliado do Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tem articulado o lançamento de candidaturas adversárias.
No final do ano passado, como a Folha de S.Paulo antecipou, o Planalto convidou o deputado federal Mauro Lopes (PMDB-MG) para assumir a pasta, em uma estratégia para dividir a bancada do PMDB de Minas Gerais, a segunda maior da legenda na Câmara, e fortalecer a reeleição de Picciani.
Na época, o deputado confirmou à imprensa que foi procurado pelo ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, o que incomodou auxiliares e assessores da petista, que costuma se irritar com o vazamento de sondagens para sua equipe de governo.
Lopes indicou ao Planalto que está disposto a assumir o posto e recebeu o apoio público do vice-presidente Michel Temer, apesar dele não ter sido consultado previamente pelo governo.
A equipe da presidente, no entanto, ainda pondera se não seria melhor acomodar um aliado mais próximo do vice-presidente no posto, uma vez que os dois últimos ocupantes fizeram parte da cota pessoal dele: Moreira Franco e Eliseu Padilha.
A avaliação é de que um aceno nessa direção poderia fortalecer a tentativa da presidente de um armistício com o vice-presidente, movimento que tem o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O governo avaliou como positiva decisão da bancada do PMDB de Minas Gerais de se manter neutra na disputa interna, mas considera que não é o suficiente para garantir a vitória de Picciani.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 06/12

VICTOR FUGANTI, 94 ANOS

ANTÔNIO JACOMETO, 81 ANOS

GUILHERME GONÇALVES SOARES, 17 ANOS

APUCARANA 05/12

APUCARANA YOSHIMATSU NIKI, 99 ANOS
JOSÉ BECEL, 80 ANOS
SULINA ANTÔNIO DA SILVA, 82

MEGA SENA

CONCURSO ·