Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Filha de Temer diz que crise entre PT e PMDB não afeta relação com Haddad

Loading...

POLíTICA

Filha de Temer diz que crise entre PT e PMDB não afeta relação com Haddad

THAIS ARBEX
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meio ao movimento de afastamento do PMDB da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Luciana Temer, filha do vice-presidente Michel Temer, diz não ter intenção de deixar o cargo que ocupa desde 2013 e que há "nenhum constrangimento" em fazer parte do governo petista.
"Não tem constrangimento porque hoje, independentemente do partido, estou aqui como parte da equipe do prefeito", disse ela à Folha de S.Paulo. "Não sinto também nenhuma resistência, inclusive, de ninguém da equipe do prefeito, seja do PT, PMDB ou qualquer outro partido, à minha presença nesta equipe."
"Sou filiada ao PMDB, sim, mas nunca fiz política partidária. Assim como também não fazia na época em trabalhei na gestão do governador Geraldo Alckmin, em 2002, como secretária da Juventude", afirmou em referência ao período em que comandou a pasta estadual da Juventude, Esporte e Lazer do governo tucano.
Embora o vice-presidente Michel Temer tenha manifestado nos bastidores desconforto com a permanência da filha no governo Haddad, Luciana diz que "nunca me pediram para sair". "Estou muito confortável na gestão do prefeito e, enquanto ele estiver confortável com a minha presença, vou permanecer."
Há um ano, Gabriel Chalita aceitou o convite de Haddad para assumir a secretaria de Educação. No acordo para a entrada do peemedebista no governo municipal, selado com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice-presidente Michel Temer, ficou definido que PT e PMDB estariam juntos na disputa pela sucessão da prefeitura de São Paulo nas eleições deste ano e que Chalita seria o candidato a vice na chapa.
MARTA SUPLICY
A entrada da senadora Marta Suplicy no PMDB, em setembro do ano passado, no entanto, fez com que o partido passasse a trabalhar, com o aval de Temer, pela candidatura própria. Logo depois da filiação da ex-petista à sigla do vice-presidente, o prefeito Fernando Haddad disse, em entrevista à DW Brasil, que o PMDB não estava cumprindo um acordo político que fez com o PT para a eleição em São Paulo."O que eu lamento no caso do PMDB é que eles tinham firmado um acordo que não estão cumprindo (...) Acordo político no Brasil já virou quase uma contradição de termos", disse.
"Houve um acordo político com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), com a vinda do Chalita [Gabriel Chalita, também do PMDB] para a Secretaria da Educação, que eu acredito que o PMDB não vá manter. Mas palavra aqui deixou de... O Brasil perdeu um pouco isso. É que eu sou de uma outra tradição", afirmou.
Desde então, Haddad passou a atuar nos bastidores para que Chalita deixe o PMDB e siga com o acordo para ser seu vice nas eleições deste ano. Sondado por PDT, PR e Pros, o secretário de Educação deve deixar a decisão para o fim de março, no limite do prazo para a troca partidária. Hoje, a negociação está mais avançada com o PDT.
A direção do PDT tem a expectativa de, ao filiar Gabriel Chalita, atrair também Luciana Temer. A filha do vice-presidente foi procurada pela direção do partido, mas disse que, se um dia se desfiliar do PMDB, não pretende se filiar a nenhum outro partido.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 09/12

HELENA CORREA DE ANDRADE, recém-nascida

MAUÁ DA SERRA 09/12

CLAUDENIR COELHO SOARES, 35 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60