Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

PF de Curitiba pede verba a Moro para luz, gasolina e manutenção de carros

Loading...

POLíTICA

PF de Curitiba pede verba a Moro para luz, gasolina e manutenção de carros

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A Superintendência da Polícia Federal em Curitiba pediu judicialmente verbas recuperadas pela Justiça Federal para pagar conta de energia elétrica, gastos com gasolina e manutenção de carros.
O juiz federal Sergio Moro concordou com a liberação de R$ 172 mil para que as investigações da Operação Lava Jato não fossem interrompidas "por falta de dinheiro para despesas básicas".
"Tenho presente que a autoridade policial [PF] não solicitaria esse remanejamento da verba caso isso não fosse absolutamente necessário", disse Moro, em seu despacho, de novembro do ano passado.
A constatação de Moro, dois meses atrás, acaba por refletir a atual preocupação de entidades de policiais federais com o corte orçamentário da PF, previsto em R$ 133 milhões. Delegados divulgaram um manifesto no qual chamam o enxugamento de "Operação Desmonte da Polícia Federal".
A informação sobre a liberação de recursos por Moro foi publicada pelo jornal "O Globo" e pela revista "Veja". O juiz federal, que conduz os processos relativos à Lava Jato, aceitou o pedido da superintendência, "embora não seja muito apropriada a destinação dessas verbas para custeio".
Foi a segunda vez que o juiz federal autorizou a liberação de verba recuperada pela Justiça para o órgão. Em agosto de 2014, ele autorizou o repasse de R$ 1 milhão, a pedido da PF de Curitiba, para aquisição de um sistema de câmeras de vigilância e alarme para unidades da Polícia Federal no Estado.
Como o total da verba não foi utilizado, a PF fez um novo pedido do valor remanescente para gastos com gasolina e conserto de carros.
O montante de R$ 1 milhão usado pela PF tanto para o sistema de câmeras quanto para custeio vieram de uma conta judicial de outro caso no Paraná relativo a lavagem de dinheiro, o Banestado, do processo do doleiro Helio Laniado. O valor foi devolvido pelo doleiro, que fez acordo de delação premiada no qual aceitou entregar os empresários para os quais fazia remessas ilegais, além de pagar multa.
A reportagem procurou a Superintendência da PF no Paraná, mas não obteve resposta até o fim da tarde desta quinta (7).

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 08/12

ÂNGELO RODRIGUES, 70 anos

CALIFÓRNIA
ENACIR MARIA CARDOSO, 53 anos

JANDAIA DO SUL 08/12

MARIA DO ROSARIO DE SOUZA BORGES, 50 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60