Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vizinha a local de atropelamento em Londres, brasileira relata tensão

Loading...

GERAL

Vizinha a local de atropelamento em Londres, brasileira relata tensão

GUSTAVO SIMON

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Gritos e um barulho acima do normal para uma movimentada avenida do norte de Londres despertaram a atenção da brasileira Cynthia Vanzella, 33, poucos minutos depois da meia-noite desta segunda (19), no horário local (noite de domingo no Brasil).

A jornalista e fotógrafa mora em um prédio na Seven Sisters road, na região do Finsbury Park, a poucos metros de onde um veículo avançou sobre pedestres, deixando um morto e ao menos dez feridos. O motorista da van foi preso, segundo a polícia metropolitana de Londres.

Cynthia disse ter ouvido gritos -"algo diferente do ruído tradicional na rua, que é a principal do bairro e muito movimentada"- e viu, pela janela, um grupo, "de cerca de 200 pessoas, muito agitadas", chamando a atenção de um carro de polícia.

"Quando os policiais chegaram, um homem começou a ser empurrado pela multidão", disse à reportagem. Segundo ela, o sujeito não foi agredido nem reagiu aos empurrões e foi depois levado pelos agentes.

A versão foi confirmada mais tarde pelas autoridades, que disseram que testemunhas detiveram o motorista da van.

Entre as pessoas na multidão, muitas estavam com trajes típicos de muçulmanos. Segundo a brasileira, é comum que pequenos grupos se formem nas ruas do bairro para conversar, inclusive à noite, depois de deixar a mesquita local.

Líderes religiosos disseram à imprensa que fiéis foram atingidos pela van quando deixavam a mesquita. No período do Ramadã, muçulmanos praticantes chegam à mesquita depois do Iftar, nome dado à refeição feita ao anoitecer, que marca o final do jejum. Uma oração é feita em torno de meia-noite -policias receberam o chamado da ocorrência à 0h20 (20h20, no horário de Brasília).

Assim que a multidão foi dispersada, após a chegada de mais carros da polícia e de ambulâncias, Cynthia disse que pôde ver, entre agentes amparando pessoas com dificuldade de caminhar e feridos sentados na calçada, duas pessoas no chão sendo atendidas por paramédicos. "Era uma situação claramente tensa", diz.

Mais tarde, ela ainda viu um corpo, coberto e cercado por policias, na esquina da Seven Sisters road com a Whadcoat street.

Cynthia vive em Londres há seis anos e há três mora na região de Finsbury Park. "É um bairro comum, de classe média, tranquilo e essencialmente multicultural", diz.

Além da mesquita, há na vizinhança uma igreja católica e uma sede da Igreja Universal do Reino de Deus -esta, bem próxima ao local do atropelamento. Às 4h46 (0h46 no Brasil), a polícia londrina informou que o Comando de Contra-Terrorismo vai investigar o caso. A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que "a polícia confirmou que o caso está sendo tratado como um potencial ataque terrorista" e convocou uma reunião de emergência para a manhã de segunda.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias