Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Greg News" tem overdose de Duvivier, mas acerta

Loading...

GERAL

"Greg News" tem overdose de Duvivier, mas acerta

SÓ PODE SER PUBLICADO NA ÍNTEGRA E COM ASSINATURA

LUCIANA COELHO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Estreou bem o novo programa de humor noticioso capitaneado por Gregório Duvivier, o "Greg News". Para quem anda um tanto fatigado com a quase onipresença do humorista, ator e colunista desta Folha, vale dar uma chance ao semanal da HBO.

Nos EUA, o formato foi consagrado na década passada pelo ator e comediante Jon Stewart, precocemente aposentado, em seu "Daily Show". Hoje sobrevive nas piadas indômitas de seus discípulos Stephen Colbert, John Oliver e Samantha Bee.

No Brasil, porém, trata-se de novidade -o humor político aqui sempre apareceu sob a forma de esquetes ou em revistas e jornais.

Anunciar o sisudo noticiário com sarcasmo e comentários que imediatamente conectam o apresentador com o espectador era coisa impensável até recentemente. Foi preciso uma mudança geracional (a chegada de humoristas nutridos por uma dieta de TV a cabo e YouTube) para derrubar essa barreira, e ninguém melhor que Duvivier, 31, para fazê-lo.

Numa boa sacada, ele já desarmou esperadas críticas anunciando que sim, tinha lado (a esquerda, caso alguém não saiba) e seria parcial, mas prometia não mentir nem poupar aqueles que compartilham de sua visão na política. De fato, não o fez, e sobraram criticas aos ex-presidentes Lula e Dilma, ao PT, ao romantismo de parte da esquerda.

Foi o programa de estreia, e o humorista ainda pareceu um tanto tenso. Em alguns momentos, sobretudo na primeira metade do programa, ele pareceu emular alguns gestos de Stewart (nas caras e bocas de incredulidade) e até de Jô Soares. O texto noticioso e didático, mais árido, parece ter deixado Duvivier engessado.

Aos poucos, foi se soltando, colocando um e outro comentário improvisado e parecendo mais dono do texto que ajudou a escrever. Afinal, o show é de Duvivier, mas também há uma competente equipe de jornalistas e roteiristas trabalhando como ele.

As piadas são ágeis, provocativas e informativas. Se continuar nessa toada, o "Greg News" pode preencher uma lacuna que a imprensa dita tradicional ainda se esforça para conquistar, a do público adolescente e jovem-adulto. Nos EUA, programas como o "Daily Show" se tornaram uma das principais fontes de informação sobre política dessa geração. É preciso, porém, um pouco mais de apuro de edição. Enquanto os monólogos de John Oliver e Samantha Bee são entremeados por clipes dos noticiários "sérios" e reportagens igualmente irônicas, no "Greg News" só dá Duvivier.

Em um programa de 31 minutos, levou 17 para que surgisse o primeiro clipe -sim, o humorista falou 17 minutos sem parar, interrompido apenas por uma e outra risada da plateia.

Não houve convidados (como era constante nos programas de Colbert e Stewart), não houve reportagem nem mesmo quando o âncora narrou a história de uma escola pública no interior do país bem sucedida em exames de avaliação graças à atenção individual aos alunos.

Duvivier é uma figura carismática, um ator com timing invejável, e o programa é promissor. É de se esperar que com o tempo, possa dosar melhor os monólogos e sentir-se tão dono do texto noticioso quanto se sente das piadas. Ressalva feita, já estava mais do que na hora de alguém tratar nossa política com o sarcasmo que ela merece em horário nobre.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias