Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Após conflitos, mais de cinco mil crianças ficam sem aulas no Rio

Loading...

GERAL

Após conflitos, mais de cinco mil crianças ficam sem aulas no Rio

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Mais de cinco mil crianças de comunidades do Rio de Janeiro estão sem aula nesta sexta-feira (5), segundo a Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Lazer.

No total, cinco escolas, seis creches e quatro Espaços de Desenvolvimento Infantil no Complexo do Alemão, na Penha, e na comunidade do Caju, na zona portuária do Rio, estão sem atendimento devido os recentes conflitos na capital fluminense. As informações são da Agência Brasil.

A CPP (Coordenadoria de Polícia Pacificadora) informou que não há nesta sexta operações policiais nestas duas regiões da cidade. Nesta quinta (4), houve um intenso confronto entre o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) da Polícia Militar e criminosos que atuam nessas regiões.

No Complexo Alemão, cinco homens morreram e um ficou ferido. Além disso, foram apreendidos dois fuzis, duas pistolas e drogas. No mesmo local, policiais civis ainda prenderam dois suspeitos, entre eles um policial militar, de fornecer armas e munições para facções criminosas.

Os dois estavam dentro de um carro, com cerca de 3.500 munições de pistola, em um dos acessos a comunidade. O carro estava sendo dirigido pelo policial, que está submetido a UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Vila Cruzeiro, uma das favelas que integram o maciço dos complexos do Alemão e da Penha.

O caso está sendo investigado pela Delegacia da Pavuna (39ª DP). De acordo com a assessoria de imprensa das UPPs, o policial preso foi ouvido na 8ª DPJM (Delegacia de Polícia Judiciária Militar) e já está preso na UPPM (Unidade Prisional da Polícia Militar), em Niterói. Ele também responderá a um processo administrativo disciplinar na PM.

Já na comunidade do Caju, segundo o comando da UPP local, um homem foi preso e foram apreendidos um fuzil, uma escopeta e drogas. Depois da operação, criminosos ameaçaram atacar uma das bases da UPP e, por isso, o policiamento foi reforçado por outras equipes, batalhões da área e pelo Bope.

Durante a madrugada e manhã desta sexta, não foram registrados confrontos na região.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias