Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

ATUALIZADA - Após abril seco em 2016, SP tem 9º mês mais chuvoso da história

Loading...

GERAL

ATUALIZADA - Após abril seco em 2016, SP tem 9º mês mais chuvoso da história

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Se em 2016 a cidade de São Paulo registrou o segundo abril mais seco da história, com apenas 2,4 mm de chuva, em 2017 a história foi diferente. Segundo medição do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), neste ano choveu 78% a mais que a média histórica para o mês, deixando este abril como o nono mais chuvoso.

O total de chuva acumulada na capital paulista no mês passado foi de 143,1 mm - 62,9 mm acima da média histórica (80,2 mm). As medições, iniciadas em 1943, foram feitas no mirante de Santana, na zona norte da cidade.

Além de ter sido o abril mais chuvoso em relação ao volume, o mês também teve mais dias de chuva - foram 12 dias com precipitação, enquanto a média é de 9 dias.

De acordo com o Inmet, o maior volume de chuva em 24 horas foi aferido no dia 7, com 82,1 mm - a maior quantidade acumulada no período num mês de abril desde o início da série histórica.

Segundo o Inmet, esse grande volume de chuva foi causado pela convergência de ventos úmidos, associados a uma frente fria ao largo da costa, e ao transporte continental de umidade amazônica para o Estado.

O mês de abril também registrou temperaturas mais baixas para o mês em 29 anos: a média das temperaturas máximas ficou em 24,9 °C - a média histórica é de 25,4 °C. Em 2016, abril teve média de 29,5 °C - recorde da série histórica do mês.

Em relação às temperaturas mínimas, abril também teve a menor temperatura do ano: 13,4 °C, registrada na madrugada do dia 29 e a menor do ano até agora. Porém, a média desse parâmetro no mês foi de 17,1 °C, acima da média histórica, de 16,3 °C.

Meteorologistas do Inmet afirmam que essas anomalias se devem à maior nebulosidade, ao número de dias de chuva e à umidade na coluna atmosférica acima da média para o período.

Isso faz com que haja menor incidência da radiação solar à superfície, diminuindo a amplitude do ciclo diurno da temperatura máxima e também em menor resfriamento noturno.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias