Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

FBI pede que governo negue acusações de Trump sobre espionagem, diz jornal

Loading...

GERAL

FBI pede que governo negue acusações de Trump sobre espionagem, diz jornal

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O diretor do FBI, James Comey, pediu ao Departamento de Justiça que negasse publicamente as acusações de espionagem feitas pelo presidente Donald Trump, disse neste domingo (5) o jornal "The New York Times".

No sábado (4), ele acusou seu antecessor, Barack Obama, de ter ordenado escutas telefônicas contra sua equipe na campanha eleitoral que o levou à Casa Branca. O porta-voz do democrata negou as alegações.

Segundo membros do gabinete do republicano, Comey argumentou que a acusação é falsa e precisa ser corrigida porque é uma insinuação de que a polícia federal americana teria violado a lei.

Nem o Departamento de Justiça nem o FBI comentaram sobre o pedido. Também não há informações de por que o chefe policial não fez um comunicado contrariando o presidente, apesar de ser autorizado a fazê-lo.

A reportagem é publicada horas depois que a Casa Branca pediu ao Congresso que inclua uma investigação sobre o suposto abuso de autoridade de Obama no inquérito sobre a interferência russa nas eleições.

A declaração potencialmente elimina tentativas fazer Trump explicar suas acusações. O texto divulgado pelo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, alude a relatórios -não especificados- de investigações politicamente motivadas antes das eleições.

Spicer afirmou que o governo não comentará mais sobre o assunto até que as investigações sejam concluídas.

EXTREMA DIREITA

Além da falta de provas, Trump também não deu indícios da origem das acusações. A imprensa americana afirma que o presidente reproduziu alegações de sites de extrema direita.

Na quinta (2), o radialista Mark Levin mencionou os passos que Obama teria tomado para vigiar o sucessor. A acusação foi publicada no dia seguinte no Breitbart News, que tem entre os fundadores Stephen Bannon, estrategista-chefe do presidente.

Ao pedir ao Congresso que amplie suas investigações, o próprio Trump estabelece um vínculo entre suas denúncias de que foi espionado por Obama e o escândalo dos contatos entre seus colaboradores e funcionários russos.

O governo Obama acusou os russos de estarem na origem do ataque cibernético a e-mails de colaboradores de Clinton na campanha eleitoral. A operação teria sido conduzida pelo Kremlin para beneficiar o republicano.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias