Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

'A polícia não parou e nem vai parar', diz secretário de segurança do Rio

Loading...

GERAL

'A polícia não parou e nem vai parar', diz secretário de segurança do Rio

NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O secretário de segurança do Rio, Roberto Sá, disse nesta sexta (10) que conta com apoio da Força Nacional e de guardas municipais de cidades da região metropolitana caso os protestos de mulheres de policiais prejudiquem o patrulhamento no estado.

Ele garantiu, porém, que no primeiro dia de manifestações não houve grande impacto na atuação da polícia. Segundo Sá, entre 90% e 95% do efetivo previsto conseguiu sair às ruas nesta sexta-feira.

A manifestação foi iniciada ainda na madrugada, com mulheres de policiais protestando em frente aos batalhões, a exemplo do que ocorre no Espírito Santo. Há protestos em 27 deles, alguns com bloqueio na entrada e saída de veículos.

Em alguns locais, a troca de turno teve que ser feita fora do batalhão, para evitar que os homens ficassem presos dentro das unidades.

"A polícia não parou e nem vai parar", afirmou o secretário, em coletiva no início da noite. Ele agradeceu ao "espírito público" da corporação, que vem atuando mesmo com salários e bonificações atrasadas.

Sá informou que já conversou com o Ministério da Defesa sobre a possibilidade de uso da Força Nacional e com as prefeituras do Rio, Niterói e Duque de Caxias para o uso de equipes das guardas municipais no patrulhamento das ruas.

"Todos colocaram as guardas civis à disposição do Rio de Janeiro para atuar em rondas, no abastecimento, da forma que eu precisar", afirmou. A Polícia Civil, disse, já vem fazendo rondas para ajudar no patrulhamento.

Sá voltou a apelar a policiais e suas mulheres para que a atuação da polícia não seja interrompida. "A polícia é a última barreira para a barbárie", afirmou.

"Na lacuna do poder público, o crime atua. Essas pessoas precisam entender que não vão estar contribuindo para acelerar o pagamento do 13º salário, mas vão estar contribuindo para o risco de vida de milhões de pessoas". argumentou.

Ele acenou com o pagamento do 13º salário e com a definição de um calendário de pagamento dos outros valores atrasados, mas disse que a medida depende da aprovação, pela Assembleia Legislativa, do pacote anticrise do governo.

Na terça (14), os deputados votam projeto que dá início à privatização da Cedae (Companhia Estadual e Água e Esgoto), que permite ao governo tomar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões dando como garantia ações da companhia.

"Tendo êxito nas votações de terça, o governador trabalha para, na quarta-feira (15), já determinar medidas administrativas para efetuar o pagamento do 13º, do RAS (adicionais por horas extras de serviço) e das (bonificações por) metas, inclusive dizendo que poderá fazer um calendário para normalizar o pagamento até o final do ano", disse.

Sá voltou a pedir ainda que a população evite compartilhar boatos nas redes sociais.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias