Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Membros do PT e do MBL se envolvem em confusão na Câmara de São Paulo

Loading...

GERAL

Membros do PT e do MBL se envolvem em confusão na Câmara de São Paulo

ARTUR RODRIGUES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Petistas e o MBL (Movimento Brasil Livre) protagonizaram confusão, com direito a bate-boca e empurra-empurra, no início da noite desta sexta-feira (10) na Câmara Municipal de São Paulo.

A vereadora petista Juliana Cardoso acusou assessores do vereador Fernando Holiday (DEM), membro do MBL, de invadir a liderança do partido e cometer agressões.

"Moleque!", gritava a vereadora, que foi na direção de Holiday. O vereador foi cercado por outros parlamentares, impedindo que a petista, bastante exaltada, se aproximasse.

Ela afirmou que as agressões foram verbais e físicas, como tapas. Holiday disse no plenário que iria verificar o que aconteceu.

A confusão começou depois de discussão na Câmara entre petistas, que haviam se reunido com o senador Lindbergh Farias (PT). Mais tarde, segundo os petistas, os militantes teriam invadido a liderança do partido para filmar.

"Nós formos surpreendidos. Eles entraram, abriram a porta e foram filmando. Teve uma discussão", disse o jornalista André Kuchar, que diz não ter presenciado a agressão.

Holiday afirmou que Arthur Moledo, integrante do MBL, estava filmando um evento com Lindbergh. "Parece que a assessoria da Juliana Cardoso, como a militância petista, não gostou dessa cobertura e aí foi onde gerou toda a confusão. Até onde eu sei e o próprio Arthur gravou ele foi agredido por assessores e militantes e vai prestar seu depoimento", disse.

O vereador confirmou que um assessor seu estava presente no momento, filmando a ação. Ele não soube informar sobre a invasão à liderança do PT.

A presidência da Câmara confirmou a invasão, mas afirmou que a apuração inicial da Polícia Militar é de que não houve agressão física. "A presidência da Câmara tomará todas as medidas necessárias para resolver o lamentável ocorrido", afirmou a assessoria da Casa, em nota.

A confusão aconteceu durante sessão que a base aliada de João Doria (PSDB) tentava aprovar projeto antipichação.

A gestão tucana desenterrou um projeto de 2005 do vereador Adilson Amadeu (PTB), que cria um disque-pichação para a população denunciar atos de vandalismo. O projeto do jeito como está não prevê punição alguma, mas já passou por todas as comissões e será modificado na segunda votação.

O texto final, que ainda não chegou à Câmara, deve prever multa de R$ 5.000 para quem for pego pichando -no caso de reincidência, a autuação chegará a R$ 10 mil.

A confusão se deu durante a tentativa da base aliada de João Doria (PSDB) de votar projeto antipichação na Câmara.

O endurecimento da legislação é parte da cruzada contra os pichadores promovida por Doria desde que foi eleito. Segundo estatísticas do município, desde 1º de janeiro, 61 pessoas acabaram nas delegacias por causa das pichações.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56