Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Venezuela adia eleições regionais pela 2ª vez para recadastrar partidos

Loading...

GERAL

Venezuela adia eleições regionais pela 2ª vez para recadastrar partidos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) adiou nesta sexta-feira (10) pela segunda vez as eleições regionais e municipais do país, uma das principais reivindicações da oposição ao presidente Nicolás Maduro.

Previsto para dezembro passado, o pleito só será convocado após o recadastramento dos partidos venezuelanos, que deve terminar em junho. Isso deve fazer com que a votação aconteça apenas no segundo semestre.

Segundo Tania D'Amelio, uma das reitoras do órgão, a interrupção é necessária para garantir a representação de todos os partidos legítimos. "Não se pode violar o direito das organizações com fins políticos que desejem se candidatar."

Anunciado na terça (7), o recadastramento visa diminuir o número de partidos do país através da medição do número de seus apoiadores para definir quais podem ter o direito de participação nas eleições venezuelanas.

O critério de avaliação publicado pelo CNE em seu site no mesmo dia é que deveriam passar pela verificação todos os partidos que não tivessem atingido 1% dos votos válidos nas eleições legislativas de 2010 e 2015.

O único liberado da exigência foi o Partido Socialista Unido da Venezuela, de Maduro. A lista final, no entanto, inclui agremiações que superaram o piso, principalmente da coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática.

Dentre eles, está o Primeiro Justiça, do presidente do Legislativo, Julio Borges, e do ex-candidato Henrique Capriles, que obteve 8,62% em 2010 e 32% em 2015, e o Ação Democrática, do ex-líder parlamentar Henry Ramos Allup.

As 59 organizações foram distribuídas em dez fins de semana, entre 18 de fevereiro e 23 de abril. Em dois dias, elas terão que coletar o apoio de 0,5% do eleitorado -97.520 pessoas- em 12 dos 23 Estados.

A coleta de impressões digitais será feita nas praças principais de 360 cidades. Como a confirmação reunirá ao menos cinco partidos, a expectativa é de filas longas para quem quiser manifestar o seu apoio a algum deles.

Após dois meses de avaliação, o CNE prevê dar os resultados até 21 de junho. Considerando que o calendário eleitoral na Venezuela é de pelo menos três meses, as eleições regionais deverão acontecer a partir de setembro.

O primeiro adiamento das eleições foi feito em outubro, sob a justificativa de falta de verbas. O órgão eleitoral prometeu dar a data do novo pleito após o recesso, em janeiro, após a oposição fazer uma série de protestos.

EXTINÇÃO

O temor é que, com o processo de renovação, diversos partidos opositores sejam extintos, o que criaria na Venezuela uma situação parecida com a Nicarágua, em que a oposição foi impedida de disputar eleições.

Em nota na quarta (8), a Mesa de Unidade Democrática chamou a ação de uma agressão e criticou a exigência de fazer a coleta de firmas por partido -a coalizão opositora tem, ao todo, 18 agremiações.

"Hoje o regime quer usar esta situação para acabar com os partidos democráticos, ao usar um mecanismo legitimar as organizações ante o CNE, que transforma o processo em uma corrida de obstáculos insuperáveis."

A união de partidos também é ameaçada de extinção devido a um processo movido pelo chavismo no Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) em que é acusada de fraude durante a coleta das assinaturas para o referendo revogatório do mandato de Maduro.

O grupo ainda não se manifestou sobre as eleições, mas seus líderes se indignaram com a medida. O vice-presidente da Assembleia Nacional, Freddy Guevara, considerou a situação uma grave ameaça à democracia.

"É inaceitável que o poder responsável pelos processos eleitorais diga que não é prioridade formalizar as eleições. Já chega de brincar com a fome do venezuelano. É hora que o governo reconheça e cumpra a Constituição."

O adiamento deverá acirrar os ânimos entre o chavismo e sua oposição e aumentar os protestos de rua pela saída de Maduro, além de diminuir ainda mais as chances de uma negociação entre as duas partes.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 21/02

CARLOS FRANCISCO DA SILVA, 57 anos
JECYR MASTRO, 91 anos
DULCINEIA RODRIGUES, 37 ANOS
MARIA DE FÁTIMA DA SILVA, 63 ANOS

IVAIPORÃ
ADON SCHMIDT DE OLIVEIRA, 63 ANOS

JANDAIA DO SUL 21/02

GERALDA GARCIA DE OLIVEIRA, 74 anos
CARLOS ORTIS SANCHES, 63 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56