Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Comando da PM faz apelo contra ameaça de greve de policiais no Rio

Loading...

GERAL

Comando da PM faz apelo contra ameaça de greve de policiais no Rio

LUCAS VETTORAZZO E NICOLA PAMPLONA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O comando da Polícia Militar do Rio fez um apelo nesta terça-feira (7) para que não haja paralisação da corporação nos moldes da que ocorre no Espírito Santo.

Desde o final da semana passada, parentes de PMs se colocaram na porta de batalhões de polícia nas cidades capixabas para evitar a saída das equipes de plantão. A paralisação informal -já que o código militar e a Constituição não permitem greves- levou a uma onda de mortes, assaltos e saques.

No Rio, ao menos 20 grupos foram criados nas redes sociais, por supostos parentes de policiais, desde o início desta terça, para se articular e tentar repetir a paralisação que ocorre no Espírito Santo. A mobilização estaria marcada para às 6h da próxima sexta-feira (10).

Em comunicado na página oficial da PM no Facebook, a corporação fez um apelo para que não haja esse tipo de mobilização.

Em nota, a PM tenta sensibilizar parentes para o caos que pode ser instalado no Estado com uma possível ausência da polícia nas ruas. O texto diz que "é preciso pensar que o impacto da nossa ausência poderá recair sobre nossos ombros, sobre nossas famílias".

"A nossa falta causaria males incalculáveis e irreparáveis. Temos a certeza que passamos por um momento muito delicado, mas é preciso avaliar as consequências dos nossos atos. Protestos são legítimos, mas precisamos buscar a melhor forma de reivindicar nossos direitos. Paralisar um serviço essencial afeta toda a população, incluindo nossas famílias. A quem interessa a barbárie?", questiona a corporação.

Servidores da segurança no Rio estão com o 13º de 2016 em atraso, além de não terem recebido as bonificações por horas extras e trabalho fora da escala de serviço. Os policiais reivindicam, junto com outras categorias do funcionalismo público do Rio, o pagamento de salários em dia.

Em grave crise fiscal, o governo do Rio tem atrasado salários, além de tentar fazer passar na Assembleia Legislativa pacote de ajuste fiscal que inclui, entre outras medidas, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores, algo que tem sido alvo de repetidos protestos na capital.

No início do dia, circulou nas redes um suposto boletim informativo da PM, assinado pelo comandante geral da PM, coronel Wolney Dias, em que diz que a greve era lícita e orientava a população do Estado para evitar sair às ruas a partir da próxima sexta-feira. A PM esclareceu que o documento é falso.

Segundo um representante de sindicato da PM que participa das manifestações de servidores, ainda não é possível dizer se a mobilização de familiares irá de fato ocorrer. Sua avaliação é que a divulgação do protesto é uma forma de os parentes pressionarem o Estado a ficar em dia com a folha salarial.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias