Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Justiça da Venezuela declara ilegal direção do Legislativo e anula decisões

Loading...

GERAL

Justiça da Venezuela declara ilegal direção do Legislativo e anula decisões

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), instância máxima do Judiciário da Venezuela, declarou na noite de ontem como ilegais a nova mesa diretora da Assembleia Nacional, dominada pela oposição, e todas as suas decisões.

Dentre as medidas sem efeito, estão a declaração de abandono de cargo do presidente Nicolás Maduro, aprovada na última segunda (9), que a Suprema Corte já havia declarado como inválida antes da votação que a definiu.

Na sentença, os magistrados afirmam que deverá ser refeita a eleição da nova mesa diretora porque, no momento em que esta foi realizada, o Parlamento estava em desacato por empossar três deputados impugnados.

Deste modo, também é anulada a sessão do abandono de cargo de Maduro porque foi conduzida pelos dirigentes escolhidos no desacato, mesmo que o Legislativo tenha suspendido a incorporação dos três parlamentares.

Segundo o tribunal, a Assembleia só sairá do desacato se forem retirados em definitivo os legisladores impugnados. A partir disso, poderão ocorrer novas eleições para presidente, vice-presidentes e secretários da Casa.

Em nota, a coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática, maioria no Legislativo, disse que novamente a corte, dominada por aliados de Maduro, "desconsidera a soberania popular" dos votos na eleição parlamentar.

"Nenhum grupo de burocratas está por acima do povo nem da Constituição. Quem tem que acatar a voz do povo é o regime que deixou de ser maioria e quer usar as instituições como barricada para frear o desejo de mudança."

MADURO

Nesta quinta (12), Maduro rebateu a oposição, afirmando que está em pleno uso do mandato e negou as acusações de abuso de poder. Ele ainda chamou o Parlamento de "a instituição mais desprestigiada e repudiada" do país.

"Eles não têm limites no abuso de poder, nem tem limites na capacidade de se ridicularizarem em uma Assembleia que se autodissolve e que traiu as próprias aspirações dos votantes que os levaram até lá."

O presidente também foi beneficiado pela decisão do TSJ. Devido ao desacato da Assembleia Nacional, ele terá que apresentar sua prestação de contas de 2016 à Suprema Corte, ambiente mais controlado que o Legislativo.

No ano passado, ele foi duramente criticado pelos opositores em seu discurso de Estado da União, principalmente pelo seu decreto de emergência econômica contra a crise financeira e sua rejeição à anistia aos opositores presos.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

ARAPONGAS 18/01

ANA GABRIEL DE SOUZA, 79 ANOS

ARESTIDES FONSECA, 87 ANOS

APUCARANA 18/01

DELMA MARIA MARIANO, 69 ANOS

NARCIZO ROSA, 88 ANOS 

ANTÔNIO SAMPAIO LUIZ, 59 ANOS

ANA GERALDA DE JESUS, 81 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1894 · 14/01/2017

21 31 35 53 54 57