Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tiroteio em boate em Istambul deixa ao menos 39 mortos e 69 feridos

Loading...

GERAL

Tiroteio em boate em Istambul deixa ao menos 39 mortos e 69 feridos

DIOGO BERCITO

MADRI, ESPANHA (FOLHAPRESS) - Um homem armado disparou contra o público de uma celebração de Ano-Novo em Istambul neste domingo (1º), deixando ao menos 39 mortos, entre eles 15 estrangeiros. O autor segue em fuga.

Há entre os mortos cidadãos de países como Israel, Líbano, Líbia, Marrocos e Arábia Saudita, segundo as informações oficiais preliminares. Quatro dos 69 feridos estão em estado crítico.

O ataque, considerado um atentado terrorista pelo governo, ocorreu no tradicional clube noturno Reina, às margens do Bósforo. Havia ao menos 600 pessoas nessa casa frequentada por celebridades e pela elite secular.

O homem armado teria matado um policial e um civil na porta e forçado sua entrada. Em pânico, pessoas se jogaram na água para escapar do atirador, que iniciou os disparos em torno das 1h45 (20h45 em Brasília).

Segundo informações circuladas durante a manhã -e não confirmadas pelas autoridades- haveria outro autor e ao menos um deles estaria vestido como um Papai Noel. Armas de longo alcance teriam sido utilizadas na ação.

Atentado em boate de Istambul

O jornal "Hurriyet" relatou que os responsáveis gritavam em árabe enquanto disparavam contra o público. Testemunhas afirmaram que a polícia reagiu rapidamente.

Já havia expectativas de um ataque durante o Ano-Novo. Diversos países europeus, como a Espanha, reforçaram medidas de segurança, proibindo a circulação de caminhões próximos ao centro. Berlim foi recentemente alvo de um atropelamento em uma feira de Natal que deixou 12 mortos.

Segundo a mídia local, a Turquia teria sido avisada pelos EUA sobre planos de um atentado nesta noite. O próprio clube Reina teria reforçado sua segurança, segundo uma declaração do proprietário do estabelecimento, Mehmet Kocarslan.

INSTABILIDADE

A Turquia, um membro da Otan (aliança militar ocidental), vive meses de instabilidade, que devem agora ser agravados por este ataque.

Houve uma tentativa frustrada de golpe militar em julho, com mais de 270 mortos, além de uma série de ataques a cidades como Istambul e a a capital, Ancara. Alguns dos atentados foram reivindicados pela facção terrorista Estado Islâmico.

Em 19 de dezembro, o embaixador russo na Turquia foi morto enquanto discursava em Ancara por um policial turco fora de serviço.

Em uma mensagem durante o domingo, o presidente Recep Tayyip Erdogan prometeu lutar contra o terrorismo "até o fim". "[Os terroristas] querem criar o caos, desmoralizar nosso povo e desestabilizar nosso país com ataques abomináveis."

Nenhum grupo reivindicou, por ora, a autoria do ataque deste Ano-Novo. O Estado Islâmico não costuma assumir as ações de imediato, aproveitando-se do caos informativo dos primeiros dias. O fato de que há um atirador às soltas, ademais, pode atrasar esse anúncio.

A Turquia faz parte da coalizão liderada pelos EUA contra a milícia radical, realizando ataques no território sírio, o que poderia motivar o ataque. O governo turco mediou, ademais, o cessar-fogo hoje em vigor na Síria.

Uma mensagem divulgada por um grupo ligado ao Estado Islâmico divulgou, há alguns dias, uma mensagem pedindo ataques solitários a celebrações em massa, incluindo clubes noturnos.

O próprio Abu Bakr al-Baghdadi, líder da organização terrorista, destacou a Turquia entre os possíveis alvos em um áudio divulgado algumas semanas atrás.

O Estado Islâmico não é, no entanto, o único ator em conflito com o Estado turco. O governo de Erdogan combate também forças curdas, que pedem maior autonomia à região sudeste do país.

O atrito entre a Turquia e a população curda foi agravado nos últimos anos com uma série de embates.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias