Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Deve-se 'limpar' Aleppo para liberar a Síria, diz ditador Assad

Loading...

GERAL

Deve-se 'limpar' Aleppo para liberar a Síria, diz ditador Assad

- Atualizado em 14/10/2016 10:10

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ditador da Síria, Bashal al-Assad, disse a um jornal russo que se deve continuar "limpando" Aleppo, cidade no norte do país controlada por rebeldes que é alvo de uma ofensiva militar do regime sírio duramente criticada pelo Ocidente.

"É preciso seguir limpando essa área e empurrar os terroristas para a Turquia, para que voltem a seu lugar de origem, ou matá-los. Não há outra opção", disse Assad nesta quinta-feira (13) em entrevista em inglês ao jornal russo "Komsolmolskaya Pravda".

Segundo o ditador, Aleppo, que é uma das maiores cidades da Síria, "será um importante trampolim" para retomar áreas das mãos de rebeldes em outras partes do país.

Nos últimos meses, Aleppo tem sido a principal frente de batalha da guerra civil que assola a Síria há quase seis anos e que já contabiliza mais de 300 mil mortos.

Há meses, tropas leais ao regime sírio realizam um cerco a partes de Aleppo controladas por rebeldes -estima-se que 270 mil pessoas estejam isoladas nestas áreas. Com o apoio da Rússia, a aviação síria vem bombardeando a cidade, matando centenas de civis e deixando o cenário urbano em ruínas.

Nesta sexta-feira (14), os moradores de Aleppo acordaram sob uma leva intensificada de ataques aéreos, após um breve período de relativa tranquilidade.

A ONU (Organização das Nações Unidas), pretende levar nas próximas semanas comboios de ajuda humanitária a dezenas de áreas isoladas na Síria. O regime de Damasco, entretanto, vetou o envio de mantimentos às áreas tomadas por rebeldes em Aleppo.

A campanha para retomar a cidade vem sofrendo duras críticas do Ocidente, que oferece suporte a alguns grupos rebeldes em combate.

Nas últimas semanas, autoridades de EUA, França e Reino Unido têm sugerido que o regime sírio e o governo russo deveriam ser investigados por crimes de guerra em Aleppo.

As divergências em relação à Síria vêm provocando o estremecimento das relações diplomáticas entre a Rússia e o Ocidente. É a primeira vez desde a Guerra Fria que Washington e Moscou, as duas principais potências militares do planeta, ocupam lados opostos em um campo de batalha.

Na entrevista ao jornal russo, Assad disse que a guerra civil na Síria se transformou em um conflito entre potências mundiais.

"O que temos visto recentemente nas últimas semanas, e talvez nos últimos meses, é algo mais como a Guerra Fria", afirmou o ditador. "Eu não seu como chamá-lo, mas não é algo que tem existido recentemente. Eu não penso que o Ocidente e especialmente os EUA tenham parado sua Guerra Fria, mesmo após a queda da União Soviética."

O presidente dos EUA, Barack Obama, deve ser reunir nesta sexta com seus assessores de política externa para discutir novas estratégias militares para a Síria.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, se encontrará neste sábado (15) na Suíça com seu colega russo, o chanceler Sergei Lavrov, para tentar retomar as negociações por um cessar-fogo na Síria.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 05/12

YOSHIMATSU NIKI, 99 anos

SULINA ANTONIA DA SILVA, 82 anos

JOSE BECEL, 80 anos

APUCARANA 04/12

ONOFRE CIUFFI, 78 anos
TEREZINHA ARAUJO SOARES, 69 anos
ANGELINA MENEO PALUSSIO, 91 anos 
DIONISIO REMES, 60 anos
NATIMORTO, 0 anos
LINDOLFO HEINZ, 72 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1882 · 03/12/2016

09 10 19 35 37 41