Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pessimista, população mundial teme desemprego e corrupção, diz estudo

Loading...

GERAL

Pessimista, população mundial teme desemprego e corrupção, diz estudo

- Atualizado em 13/10/2016 13:30

DANIEL BUARQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O mundo vive um momento de pessimismo. Segundo uma pesquisa de opinião global realizada em 25 países (incluindo o Brasil), seis em cada dez pessoas acreditam que a nação onde vivem está indo na direção errada, indicando a sensação de que a vida será pior no futuro.

Em termos globais as maiores inquietações das pessoas são o desemprego (mencionado por 38% dos entrevistados), a corrupção financeira e política (33%), a pobreza e a desigualdade social (33%), a violência e a criminalidade (31%) e a saúde pública (22%).

Questionados sobre três temas que mais preocupam no país onde vivem, os entrevistados citaram ainda o terrorismo (21%), a educação (19%), os impostos (16%), a imigração (14%) e o declínio moral (14%).

Acesso ao crédito (2%), obesidade infantil (3%) e aquecimento global (8%) são os temas citados menos vezes na lista de preocupações globais.

Realizada desde 2010, a pesquisa mostra uma variação pequena entre os temas que mais preocupam a população nos 25 países. Apesar de liderar o ranking, o percentual de pessoas inquietas com o desemprego caiu de 50% aos atuais 38%, enquanto corrupção, pobreza e violência alternaram suas posições, mas mantiveram o patamar em torno de 35% no período.

PESSIMISMO x OTIMISMO

Os dados fazem parte da pesquisa "O que preocupa o mundo", divulgada nesta quinta-feira (13) pelo instituto Ipsos. Questionados se, em termos gerais, o país onde vivem está indo na direção certa ou errada, 62% dos entrevistados disseram achar o rumo atual equivocado, contra 38% que revelaram otimismo quanto à direção seguida.

Os franceses são os mais pessimistas, com um total de 88% dos entrevistados dizendo que o país está na direção errada. Em segundo lugar vem o México (85%) e, logo depois, o Brasil (84% veem o país na direção errada).

Do total de 25 países em que o estudo foi realizado, em 18 predomina entre a população a percepção pessimista de rumo equivocado.
Nações mais pessimistas - Percentual de pessoas que acha que o país em que vive está na direção errada

Enquanto o mundo segue no pessimismo, a China vive um momento de extremo otimismo, e nove a cada dez chineses acham que o país está no rumo certo. Também têm população satisfeita com a direção do país a Arábia Saudita (71%) e a Índia (67%).

Além desses, Rússia, Argentina, Canadá e Peru têm maioria da população que acredita que o país está no rumo correto.

Nações mais otimistas - Percentual de pessoas que acha que o país em que vive está na direção certa

BRASIL

Terceiro país mais pessimista em relação ao futuro entre as 25 nações em que a pesquisa foi realizada, o Brasil tem passado por uma oscilação rápida do índice de pessoas que acham que o país está indo na direção certa.

De julho a setembro, período no qual o país passou pelo processo de mudança no governo, com o impeachment de Dilma Rousseff, o país saiu de um índice de pessimismo tão alto quanto o do primeiro do ranking, para o terceiro lugar. O percentual de pessoas que acham que o rumo do país está errado caiu de 88% para 84% em poucos meses.

A lista de temas que inquietam os brasileiros difere da preocupação global. O tema que mais perturba os brasileiros é o sistema de saúde (50%), seguido pela criminalidade e violência (48%), pela corrupção financeira e política (45%), pelo desemprego (43%) e pela educação (30%).

Pobreza e desigualdade, que aflige 33% dos entrevistados globalmente, aparece apenas em sétimo lugar entre as preocupações dos brasileiros, citado por 21% dos entrevistados.

Controles de imigração, obesidade infantil, acesso a crédito, aquecimento global, terrorismo e extremismo foram temas praticamente ignorados pelos brasileiros citados por 1% ou menos dos entrevistados do país.

A instabilidade política e econômica do país nos últimos anos é percebida na oscilação da lista de preocupações da população. O desemprego, por exemplo, preocupava menos de 20% dos brasileiros em 2010, mas agora é citado por 43%. A violência, por outro lado, caiu de um patamar próximo de 60%, e do ponto mais alto na lista de preocupações em 2012, aos atuais 48%. Já a preocupação com o sistema de saúde, que lidera as preocupações, chegou ao patamar de 70% em 2014, antes de cair aos atuais 50%.

METODOLOGIA

Realizada pelo instituto Ipsos, a pesquisa perguntou quais temas mais geravam preocupação nas pessoas e se elas achavam que seu país está indo na direção correta ou não.

O levantamento foi realizado com base em 18.014 entrevistas conduzidas pela internet entre 26 de agosto e 9 de setembro. A margem de erro é entre 3,1 e 4,5 pontos percentuais para mais ou para menos, dependendo do país citado.

A pesquisa foi realizada na África do Sul, na Alemanha, na Arábia Saudita, na Argentina, na Austrália, na Bélgica, no Brasil, no Canadá, na China, na Coreia do Sul, na Espanha, nos Estados Unidos, na França, na Hungria, na Índia, em Israel, na Itália, no Japão, no México, na Polônia, no Peru, na Rússia, na Suécia, no Reino Unido e na Turquia.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 05/12

YOSHIMATSU NIKI, 99 anos

SULINA ANTONIA DA SILVA, 82 anos

JOSE BECEL, 80 anos

APUCARANA 04/12

ONOFRE CIUFFI, 78 anos
TEREZINHA ARAUJO SOARES, 69 anos
ANGELINA MENEO PALUSSIO, 91 anos 
DIONISIO REMES, 60 anos
NATIMORTO, 0 anos
LINDOLFO HEINZ, 72 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1882 · 03/12/2016

09 10 19 35 37 41