Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Kleber Mendonça Filho deixa cargo de coordenação em fundação pública

Loading...

GERAL

Kleber Mendonça Filho deixa cargo de coordenação em fundação pública

- Atualizado em 07/10/2016 20:30

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, de "Aquarius", deixou na quarta-feira (5) a coordenadoria de Cinema na Fundaj (Fundação Joaquim Nabuco) após 18 anos no cargo.

Em carta endereçada a Luiz Otávio Cavalcanti, presidente da instituição, o cineasta pediu o desligamento -decisão que "vinha sendo pensada há quase dois anos"- devido a dificuldades em conciliar a agenda de realizador com os compromissos diários com a Fundaj.

Mendonça Filho conheceu a Fundaj ainda na infância por influência da mãe, Joselice Jucá, que trabalhou como diretora em departamentos da Fundação. Em 1998, ele foi convidado a integrar o plantel por Silvana Meireles, diretora do Instituto de Cultura, que ele entrevistava para o "Jornal do Commercio".

"Muito me alegra ver que, depois de 18 anos, o Cinema da Fundação tornou-se um órgão catalisador de diálogo, de cultura, e que ele é visto e já estudado como grande incentivador para toda uma movimentação em torno do cinema em Pernambuco, produção esta que hoje é discutida em todo o Brasil e também no exterior a partir de uma comunidade criativa, que é algo de impressionante", escreveu o diretor na carta de despedida.

Em nota, o presidente da Fundaj, Luiz Otávio Cavalcanti, disse respeitar a decisão do cineasta de entregar o cargo. "Agradeço ao cineasta pelo trabalho realizado na instituição e na promoção do Cinema da Fundação e desejo sucesso nessa nova etapa profissional", afirmou.

POLÊMICAS

O pedido de exoneração vem após a série de polêmicas envolvendo "Aquarius", filme mais recente de Mendonça Filho. Selecionado para a disputa da Palma de Ouro no Festival de Cannes, o longa fez manchetes no mundo inteiro quando seu diretor e equipe protestaram no tapete vermelho contra o afastamento da então presidente Dilma Roussef (PT), que classificaram como "golpe".

No Brasil, outras três controvérsias. Na primeira delas, a classificação indicativa de 18 anos dada inicialmente ao filme gerou revolta, mas foi revertida para maiores de 16 anos.

Na segunda, o crítico Marcos Petrucelli, que usou as redes sociais para desqualificar Mendonça Filho pelo protesto em Cannes, foi escolhido pela Secretaria do Audiovisual para compor a comissão que escolheria o representante brasileiro na disputa pelo Oscar de filme estrangeiro. Em apoio a "Aquarius", os cineastas Gabriel Mascaro ("Boi Neon") e Anna Muylaert ("Mãe Só Há Uma") tiraram seus filmes da disputa pela vaga.

Na terceira, o filme de Mendonça Filho foi desbancado por "O Pequeno Segredo", de David Schurmann, que representará o Brasil na corrida pela estatueta da Academia.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 09/12

HELENA CORREA DE ANDRADE, recém-nascida

MAUÁ DA SERRA 09/12

CLAUDENIR COELHO SOARES, 35 anos

MEGA SENA

CONCURSO 1883 · 07/12/2016

16 27 28 47 59 60