Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Filho da elite, Santos foi chamado de comunista ao iniciar diálogo com Farc

Loading...

GERAL

Filho da elite, Santos foi chamado de comunista ao iniciar diálogo com Farc

SYLVIA COLOMBO, ENVIADA ESPECIAL

BOGOTÁ, COLÔMBIA (FOLHAPRESS) - Até ser eleito presidente pela primeira vez, em 2010, sabia-se de Juan Manuel Santos, 65, muito pouco. Que ele era um dos mais tímidos entre primos e irmãos herdeiros do jornal "El Tiempo", e filho de uma abastada família bogotana.

Após estudar economia na Universidade de Kansas (EUA) e fazer especializações na London School of Economics (Reino Unido) e em Harvard (EUA), Santos, de orientação liberal, voltou à Colômbia e atuou um tempo na publicação familiar, até que mostrou mais interesse pela vida pública.

Em 1991, foi ministro de Comércio Exterior na gestão de César Gaviria (1990-1994), mas sua atuação mais conhecida foi já como ministro da Defesa de nada menos do que seu hoje arquirrival Álvaro Uribe (2002-2010).

"Vocês tinham todo o direito de duvidar de mim quando começamos a conversar, porque pessoalmente sei que ordenei muitos ataques a vocês", disse Santos aos representantes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), no palco da cerimônia em que se assinou a paz em Cartagena, no último dia 26.

Mesmo com esse passado, em que além de coordenar ações militares contra a guerrilha apoiou a política linha-dura de Uribe em questões de segurança, uma vez eleito, Santos mudou de abordagem.

Convenceu-se, por uma mescla de razões políticas com questões de vaidade pessoal -seus biógrafos divergem- que seria mais inteligente buscar uma paz negociada com a guerrilha.

Ainda mais num momento em que, devido aos ataques do governo anterior que integrara, esta tinha sido reduzida à metade de sua força, estava fragilizada e mais afeita a uma saída pacífica.

Foi com essa determinação que recomendou que Frank Pearl, então negociador veterano, já da época de Uribe, se juntasse a um novo time indicado por ele e integrado por Sergio Jaramillo e Humberto de la Calle para tentar negociar a paz com as Farc até o fim.

Nos anos que se seguiram, aguentou uma dura oposição dos uribistas, que conseguiram convencer parte do eleitorado de que aquele bem nascido filho da elite bogotana que agora ocupava a Presidência era, na verdade, um comunista prestes a entregar o país ao que chamavam de "castro-chavismo", e que, se o acordo passasse, Santos estaria levando a Colômbia pelo caminho da Venezuela.

REELEIÇÃO

Esse discurso lhe causou muito dano e quase lhe custou a reeleição, em 2014. No primeiro turno, o candidato uribista, Óscar Iván Zuluaga, auxiliado pelo marqueteiro brasileiro Duda Mendonça, reforçou a ideia de que Santos era um "comunista". E que Zuluaga -então identificado por um "Z" de zorro criado por Mendonça- vingaria os crimes da guerrilha, voltando a adotar as políticas linha-dura de seu padrinho político. O "zorro" uribista disparou na frente, e venceu o primeiro turno.

Santos então abriu-se amplamente a alianças à esquerda e à direita, se recompôs e acabou conseguindo derrotar Zuluaga. Seu discurso após a reeleição passou a ser o da obsessiva luta por encerrar de forma satisfatória os acordos de paz em Havana.

Desde então, porém, ocorreu algo raro. Santos passou a ser mais querido e festejado fora da Colômbia do que dentro. Nas rodas e nos meios internacionais, recebia elogios pelo bom desempenho econômico do país (comparado à média da região), pela busca obstinada pela paz e, à vontade, mostrava-se mais desenvolto.

Já nos meios colombianos, talvez por saber como são por dentro, intimidava-se, e era muito mais cobrado sobre os temas além-paz: a economia que se desacelerava, a queda do preço do petróleo, a desigualdade entre as regiões.

Em seu segundo casamento, com María Clemencia Muñera, tem três filhos, Martín, Esteban e María Antonia, que constantemente saem nas fotos com o pai e o acompanham em comícios e votações.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

APUCARANA 24/02

MARIA DE OLIVEIRA MARICATO, 74 anos
CACILDA LEITE DE SOUZA, 82 anos

IVAIPORÃ 23/02

MARIA JOSÉ PEREIRA, 90 ANOS
MARTA MARIA DA SILVA OLIVEIRA, idade não divulgada
SEBASTIANA RECHE RIBEIRO, 87 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1907 · 25/02/2017

03 25 35 38 44 48