Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Rio passa a detalhar dados de mortes violentas

Loading...

GERAL

Rio passa a detalhar dados de mortes violentas

MARCO ANTÔNIO MARTINS
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ISP (Instituto de Segurança Pública), subordinado à Secretaria da Segurança do Rio, passa a divulgar a partir desta terça (23), de forma detalhada, todos os dados referentes a mortes violentas no Estado.
A partir de agora, além das estatísticas dos índices de criminalidade, será possível obter informações sobre as vítimas da chamada letalidade violenta, que é a classificação dada pela secretaria para os homicídios, autos de resistência (mortes em confronto com policial), lesão corporal seguida de morte e latrocínio (roubo seguido de morte).
"Optamos por começar com letalidade por ser o mais importante que é a vida das pessoas", afirmou Joana Monteiro, presidente do ISP.
A medida é vista dentro da pasta da Segurança como uma ação de transparência dos dados. Um programa foi desenvolvido para que o público possa ver onde houve a morte, além de saber o sexo da vítima, cor e idade, além da hora em que aconteceu. Apenas os nomes das vítimas serão preservados.
Os dados disponibilizados nesta semana se referem aos anos de 2014 e 2015. A ideia é que o ISP disponibilize toda a série histórica de mortes violentas no Estado do Rio em sua página na internet. Ainda não há um prazo para a tabulação de todos os índices detalhados.
No ano passado, o Estado registrou uma taxa de homicídios de 25,4 mil por 100 mil habitantes –mais que o dobro de São Paulo. O Rio calcula a taxa pelo número de vítimas, e não por registro como faz o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias