Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Após decisão da Justiça, Gil Rugai se entrega à polícia

Loading...

GERAL

Após decisão da Justiça, Gil Rugai se entrega à polícia

AVENER PRADO E MARTHA ALVES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Condenado em 2013 a 33 anos e nove meses de prisão pela morte do pai e da madrasta, o ex-seminarista Gil Rugai se entregou na noite desta segunda-feira (22) à polícia.
Após a decisão da Justiça, Rugai se entregou por volta das 21h30 no escritório do advogado na avenida Paulista. Ele foi levado ao DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) e transferido para a carceragem do 2º DP (Bom Retiro).
Segundo o advogado Thiago Anastácio, as horas que antecederam a prisão do ex-seminarista foram bastante tranquilas pelo menos até a entrada dele no 2º DP.
"Quando em um momento bastante estressante ele se viu em uma cela com dois travestis sendo revistados intimamente. Uma situação deplorável, mas foram tranquilos", disse o advogado.
A prisão de Rugai foi proferida pelo juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5ª vara do Júri da capital. Ele é o mesmo juiz que condenou o jovem pelo crime de duplo homicídio qualificado por motivo torpe.
Pela morte do pai, Luis Carlos Rugai, ele foi sentenciado a 18 anos e 9 meses de prisão -pelo parentesco consanguíneo- e mais 15 anos pela morte da madrasta, Alessandra Troitino.
À época, Simoni afirmou que Rugai manteve, em todos os dias do julgamento, uma "aparência de bom moço, o que demonstra sua personalidade intensamente dissimulada". Para o magistrado, isso confirma que o ex-seminarista é uma pessoa "extremamente perigosa".
Em 2013, Simoni decidiu que Rugai deveria permanecer em liberdade até que se esgotassem todos os recursos, com base no placar do júri -três dos sete jurados votaram pela absolvição do réu.
Em dezembro de 2013, Rugai foi condenado em segunda instância. Ele foi solto em setembro do ano passado após o STF lhe conceder habeas corpus.
O juiz citou decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que determina prisão de condenados em segunda instância antes de se esgotarem todos os recursos possíveis da defesa.
CRIME
O empresário Luiz Rugai, 40, e a mulher, Alessandra Troitino, 33, foram assassinados com dez tiros dentro de casa, em Perdizes, zona oeste de São Paulo, 2004.
A polícia levantou a hipótese de o crime ter ligação com o afastamento do ex-seminarista da empresa do pai, a Referência Filmes. Ele estaria envolvido em um desfalque de cerca de R$ 100 mil e, por isso, teria sido demitido do departamento financeiro.
A madrasta proibiu que o ex-seminarista movimentasse a conta da empresa, segundo o gerente do banco.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias

OBITUÁRIO

JANDAIA DO SUL 20/02

GERALDA G. OLIVEIRA, 74 ANOS.

IVAIPORÃ 20/02

MARIA F. A. SANTOS, 59 ANOS

MEGA SENA

CONCURSO 1904 · 18/02/2017

12 15 18 21 51 56